Porque é imprescindível fazer refeições intermediárias

Programar as refeições traz diversos benefícios à saúde e a boa forma

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Alimentar-se várias vezes ao dia é um fator chave que, aliado a outros hábitos, é responsável pela saúde e boa forma. A nutricionista, Alessandra Luglio, explica que comer de três em três horas contribui para a manutenção do metabolismo, para o controle saudável da glicemia, controle do apetite e manutenção da massa muscular. Por isso é importante planejar todas as refeições do dia, inclusive os lanches intermediários.

Metabolismo ativo

O metabolismo é o conjunto de reações que acontecem com os nutrientes em nosso organismo, ou seja, é ele o responsável por transformar o que ingerimos em energia, músculos, gordura, etc...E também o contrário, ele transforma a matéria prima do organismo em combustível para seu próprio funcionamento. Essas reações estão sempre relacionadas à construção ou degradação, seja de energia, massa ou gordura. Sendo assim, quanto mais ativo o metabolismo, mais ele vai funcionar gastando gordura como fonte de energia. “Comer, aproximadamente, de três em três horas ajuda o corpo a se sentir “seguro” com esse aporte de nutrientes. Se ocorre um jejum prolongado, ele se sente em perigo e começa a funcionar mais lentamente, priorizando as funções vitais, como respiração e batimentos, e economizando energia, pois não sabe quando receberá alimento novamente”, explica Alessandra.

Controle saudável da glicemia

Para garantir energia para o nosso corpo, devemos sempre consumir uma fonte de glicose, o carboidrato. Porém todo carboidrato tem rápida digestão e, por isso, se consumido sozinho durante o dia, provoca picos na glicemia. Essa situação é muito desfavorável, pois quanto mais rápido sobe a glicemia, mais insulina secretamos e a insulina leva rapidamente glicose para as células do corpo causando o que chamamos de rebote: queda brusca da glicemia (hipoglicemia). Em hipoglicemia, nosso mecanismo de defesa é acionado, travando o metabolismo e induzindo ao uso de proteína como fonte de energia. A solução deste problema está em não consumir carboidratos isoladamente e sim sempre associados com alimentos proteicos ou ricos em gorduras saudáveis. Tanto as proteínas quanto as gorduras são digeridas lentamente, retardando a absorção da glicose que, assim, cairá na circulação gradativamente, mantendo o metabolismo ativo por mais tempo.

Controle do apetite

Realizar lanches saudáveis de três em três horas auxilia no controle do apetite, evitando que você chegue à mesa para realizar suas refeições principais morrendo de fome e comendo o dobro do que precisa. “A fome acumulada, normalmente, interfere nas escolhas na hora das refeições, fazendo com que as pessoas optem por porções maiores, mais calóricas e gordurosas”, aponta Alessandra. Com lanchinhos regulares e equilibrados é possível garantir o aporte ideal de nutrientes e energia para as próximas horas, além de manter o apetite controlado.

Manutenção da Massa Magra

Em uma situação de jejum e hipoglicemia é comprovado que nosso corpo não consegue queimar gordura e para se manter e passa a queimar proteína (músculos) para garantir a manutenção das funções vitais. Sendo assim, para manter os tão suados músculos conquistados na academia é muito importante se alimentar corretamente e frequentemente, evitando situações de hipoglicemia e, consequentemente, a queima de músculo como fonte de energia.
Para montar os lanches intermediários completos, práticos e saudáveis precisamos de combinações estratégicas. O correto é combinar carboidrato com proteína ou carboidrato com gorduras do bem, como as barrinhas nuts e as castanhas. Fazendo essa combinação de alimentos, garantimos uma digestão lenta, proporcionando um controle maior do apetite e manutenção dos níveis de glicemia.
Outra dica é escolher alimentos com maior densidade nutritiva e não somente contar calorias. O alimento pode até ser calórico, desde que sejam calorias no bem, que fornecem mais nutrientes, vitaminas, minerais e fitonutrientes. Quando ingerimos esse tipo de alimento nosso corpo reage melhor e nosso apetite fica mais controlado, pois fornecemos matéria prima de maior qualidade para o organismo trabalhar.

Gostou? Compartilhe