A fase vata da vida

Por Maria Elisabete Vieira

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A chamada "terceira idade" em nossa cultura é denominada no Ayurveda de "fase vata da vida". As "fases" da vida são em número de três (3) no Ayurveda. A primeira fase, chamada de fase kapha, tem início com o nascimento do bebê e vai, nas meninas, até a primeira menstruação (nos meninos até os 21 anos aproximadamente). Esta é uma fase em que ganhamos “estrutura física”. A fase seguinte é chamada de pitta, é um período da vida em que temos muita disposição física e mental. A fase vata inicia, na mulher, com a menopausa e no homem por volta dos 60 anos de idade.

A fase vata é uma fase em que deveríamos tomar nosso acento como “anciões” da sociedade em que vivemos, onde seríamos respeitados pela nossa trajetória de vida, a qual deveria ser compartilhada com os jovens inexperientes, mas ao mesmo tempo ansiosos por ouvi-la. Receberíamos amor e carinho pelos anos de dedicação na construção de um mundo melhor para todos; além, é claro, dos cuidados ayurvédicos para a manutenção da boa saúde nesta fase da vida (vata).
A fase vata é uma fase em que o dosha vata agrava-se "naturalmente", ou seja, há uma tendência que as "características" do dosha vata se acumule e se manifeste na forma de sintomas. Pode-se apontar como “sintoma” deste processo: menos sono à noite, cabelos mais finos, certa perda de memória, etc. Contudo, aplicando os princípios do Ayurveda de equilíbrio dos doshas a pessoa pode atenuar, e em alguns casos até mesmos eliminar, estes sintomas. Mas isto só é possível se a pessoa chegou nesta idade com os doshas em equilíbrio.

Os desequilíbrios de vata:
O dosha vata possui as seguintes qualidades: frio, leve, seco, instável, áspero e mutável; em nosso corpo ele está localizado primeiramente no cólon e secundariamente no intestino grosso. Por esta razão, os primeiros sintomas de que este dosha está entrando em desequilíbrio é a flatulência e a constipação. Após saturar seus locais de origem (cólon e intestino grosso), o dosha vata se manifestará em outras partes do corpo como ciático, aparelho reprodutivo, Sistema Nervoso Central, ossos, etc; manifestando sintomas como: dor no nervo ciático, infertilidade, ansiedade, Síndrome do Pânico, artrites, pressão alta, osteoporoses e afins. O Ayurveda entende que todo tipo de dor é um desequilíbrio do dosha vata.

Se o vata em desequilíbrio não for tratado assim que aparecem seus primeiros sintomas a tendência é que ele se agrave e “transborde” (terminologia do Ayurveda), manifestando doenças que o Ocidente define como: arritmia cardíaca, hipertensão arterial, problemas circulatórios graves, osteoporose, problemas articulares, Alzheimer, Parkson, etc.

Na mulher é mais fácil perceber o agravamento de vata, na fase vata, com os sintomas da menopausa: ressecamento da pele, cabelos ralos (queda de cabelo) e finos, unhas quebradiças, baixa lubrificação vaginal, desequilíbrio no sono e, em alguns casos, depressão acompanhada de ansiedade. Já no homem este processo sutil é pouco valorizado pelos mesmos, uma vez que a mulher é mais pressionada pela aparência física buscando tratamento rapidamente. Mas os sintomas nos homens são muito semelhantes aos das mulheres, apenas não são reconhecidos, a nomenclatura usada no Ocidente para os definir é: andropausa.
O Ayurveda trata o desequilíbrio dos doshas (os sintomas a cima apontados) usando o princípio das qualidades opostas como via para o equilíbrio dos mesmos, assim usa-se qualidades como calor, peso e estabilidade para equilibrar o dosha vata em desequilíbrio. O foco do tratamento é na regularização da evacuação e do sono; para alcançar este objetivo usa-se uma dieta anti-vata (com qualidades nutritivas), temperos aquecedores e muita oleação no corpo e na cabeça, bem como o aquecimento dos mesmos. Meditação e “posturas de equilíbrio” da Yoga também são recomendados no processo de desintoxicação de vata. A definição do tratamento é feita após a realização de uma consulta ayurvédica e a disposição do (da) cliente ao tratamento.

Gostou? Compartilhe