Acesso facilitado à pílula do dia seguinte

Medicina & Saúde - Especialistas alertam para os riscos deste método contraceptivo e pedem que as pacientes sejam informadas disso.

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Ministério da Saúde facilitou o acesso à pílula do dia seguinte - o anticoncepcional de emergência. A distribuição é feita sem receita médica nos hospitais públicos e postos de saúde. Entretanto, os médicos recomendam cuidado com sua utilização.
Especialistas alertam para os riscos deste método contraceptivo e pedem que as pacientes sejam informadas disso. A pílula do dia seguinte só deve ser usada em caso de emergência, quando a mulher estiver sem proteção.
Esta é uma orientação dada pelo Ministério da Saúde, e está em vigor desde o início do ano passado.
O grupo de Ginecologia da Adolescente do Hospital das Clínicas de São Paulo trabalha com as questões sexuais das adolescentes há muitos anos. Em 2011, a equipe médica fez uma pesquisa e constatou que 75% das meninas e 60% dos meninos já conheciam a pílula do dia seguinte, e 23% das meninas já tinham usado essa pílula.
Uma única pílula do dia seguinte equivale à metade de uma cartela de anticoncepcionais, uma dose maciça de hormônios.
O Ministério da Saúde afirma que todas as pacientes que retirarem a pílula do dia seguinte sem receita serão orientadas pelas equipes dos hospitais e que médicos e enfermeiros devem alertar mulheres e adolescentes sobre a importância de usar essa pílula apenas quando outros métodos contraceptivos não foram utilizados.

Gostou? Compartilhe