Cartilha orienta pacientes com doenças renais crônicas

Material foi lançado pelo Serviço de Nefrologia do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo

Por
· 2 min de leitura
Equipe multiprofissional e autores da CartilhaEquipe multiprofissional e autores da Cartilha
Equipe multiprofissional e autores da Cartilha

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Problema que atinge 10% da população mundial, a doença renal crônica que  afeta pessoas de todas as idades. Depois de diagnosticada e iniciar o tratamento de diálise a pessoa entra em um mundo totalmente diferente e vê sua rotina e hábitos mudarem. Por isso, pensando em orientar, aconselhar e auxiliar esses pacientes e familiares a encarar esta doença, o Serviço de Nefrologia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, lançou recentemente, a Cartilha de Orientação para Portadores de Doença Renal Crônica: Fase Dialítica e Transplante Renal. A cartilha é resultado do trabalho de uma equipe multiprofissional, com aval da Sociedade Brasileira de Nefrologia, com o objetivo de oferecer informações acerca da doença renal crônica e modalidades de tratamento, possibilitando proporcionar um cuidado zeloso e o fortalecimento dos vínculos entre os envolvidos.

Trabalho multiprofissional

A enfermeira coordenadora da Nefrologia, Vera Fortes, explica que depois de muitas leituras, reuniões da equipe e revisões, a cartilha ficou pronta e será entregue para cada paciente. “A cartilha irá proporcionar uma aproximação entre os profissionais e pacientes, porque a equipe irá usar o manual durante a diálise, podendo assim abordar os assuntos com os pacientes explicando e tirando as dúvidas”, ressaltou Vera agradecendo a todos os envolvidos na elaboração do projeto. “É uma felicidade muito grande lançar essa cartilha, pois foi um trabalho multiprofissional intenso, e que, com certeza fará a diferença no dia a dia dos nossos pacientes”. O nefrologista responsável técnico da Nefrologia Péricles Sarturi salientou a importância de profissionais competentes e humanizados, que se propõe a fazer diferente. “O paciente dialítico chega de forma emergencial ao nosso setor e por isso desinformado do que é a doença. Quando ele chega na unidade de diálise a vida se transforma e ele passa a ter novas rotinas e cuidados. Em função disso, essa informação multiprofissional disponível para eles vai amenizar essas as dúvidas, angústias e auxiliá-los a entender os processos e tratamentos”.

Facilitando a compreensão

A cartilha traz desde informações básicas sobre a doença renal crônica, os diferentes tipos de terapia e também desmistificando o transplante renal, a cartilha traz ilustrações do técnico de enfermagem Fredi da Silva, que ajudam a facilitar a compreensão do conteúdo. A psicóloga da Nefrologia, Lilian Conte Borges relata que em sua prática clínica, percebeu a necessidade desse trabalho. “Nosso paciente e sua família chegam em sua maioria em uma situação grave e sem poder entender ao certo o que está se passando, seja com ele ou com seu corpo. A sensação de estar caindo de paraquedas é comum a todos, sendo verbalizada muitas vezes. Punções, filtração de seu sangue por uma máquina e outros procedimentos farão parte de sua rotina, assim como a sua frequência na Nefrologia. Provavelmente ele terá que se afastar do trabalho e profissão, o que gostava de comer não poderá estar mais em sua geladeira, dentre tantas outras coisas. Desta forma é preciso considerar que aquilo que é corriqueiro para os profissionais, ainda não faz sentido algum para o paciente renal crônico”, esclarece Lilian evidenciando que por meio dessas vivências, a cartilha se torna um instrumento para auxiliar, humanizar ainda mais o cuidado e aproximar equipe, famílias e pacientes. Representando os pacientes com doença renal crônica, Ana Salete Vargas, que faz tratamento há dois anos e sete meses, fez questão de agradecer aos profissionais pela iniciativa. “A cartilha explica tudo, o que pode comer, a rotina e cuidados. Isso vai ajudar muito, principalmente os familiares. Agradeço muito esta equipe pois, quando descobri a doença eles me ajudaram muito. São ótimos profissionais e esta iniciativa mostra isso”.

Gostou? Compartilhe