Energético para criança? De jeito nenhum!

Esta bebida não é recomendada para as crianças. Nem mesmo os repositores hidroeletrolíticos dêem ser oferecidos às crianças.

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

São várias as marcas e grande a oferta de energéticos, que são facilmente encontrados em supermercados. Essas bebidas podem ser aliadas quando o cansaço toma conta, mas é preciso cautela com a forma e a frequência do consumo. Mas uma coisa é certa: esta bebida não é recomendada para as crianças. Nem mesmo os repositores hidroeletrolíticos dêem ser oferecidos às crianças.

De acordo com a nutricionista e professora da UPF Kelen Schmidt, crianças saudáveis não têm necessidade de fazer o uso destas bebidas. “Se a criança praticar exercícios, o ideal é que ela faça acompanhamento com um nutricionista, que é o profissional capacitado e legalmente apto a orientar alimentação. A perda de energia e eletrólitos em crianças pode ser reposta através da adequada ingestão de água que é uma ótima opção para reidratação sendo facilmente disponível, de baixo custo e ocasiona um esvaziamento gástrico relativamente rápido”, explica.

Para as crianças, outra observação é com relação à alimentação, que pode repor todas as energias e contribuir para o bom funcionamento do organismo. “Além da ingestão de uma alimentação equilibrada, o consumo de sucos naturais é recomendado. Se a criança apresentar vômito e/ou diarréia é essencial que ela procure o serviço de saúde rapidamente pois a mesma desidrata muito fácil e as conseqüências também são rápidas e podem ser graves. Após diagnóstico médico, as bebidas poderão ser indicadas em algumas situações”, salienta Kelen.

Saiba como alguns dos componentes dessas bebidas agem no organismo

Taurina (aminoácido): pressupõe-se que a taurina tem uma importante função na contração do músculo cardíaco. Porém, como a dieta brasileira é tipicamente hiperprotéica e como nosso organismo é capaz de produzir a taurina a partir de outros aminoácidos, sua deficiência não parece ser importante na população.

Vitaminas do complexo B: usadas como cofatores auxiliares que permitem que a energia produzida e fornecida a partir dos nutrientes energéticos no corpo. Não são componentes essenciais das bebidas, visto que uma dieta balanceada fornece estas e todas as outras vitaminas necessárias para o bom funcionamento do organismo.

Carboidratos: as fórmulas geralmente contêm açúcares de fácil absorção, que além de fornecerem energia também melhoram o sabor das bebidas. Porém, é importante ter em mente que a quantidade de açúcar presente nas bebidas energéticas (10-12%) é muito superior ao das bebidas esportivas (6-8%) e, concentrações elevadas de açúcar diminuem a absorção de água pelo corpo, fazendo com que estas bebidas não cumpram a função de hidratar, especialmente durante exercícios prolongados e vigorosos.

Cafeína: substâncias como o guaraná, usualmente presente nas bebidas energéticas, são as principais fontes de cafeína do produto. A cafeína é uma substância com efeito comprovadamente ergogênico, ou seja, que tem a capacidade de melhorar o desempenho físico e cognitivo, já que aumenta o fluxo sanguíneo para músculos e para o sistema nervoso central, principalmente em indivíduos que praticam exercícios prolongados, como maratonas e triatlo.

 

Gostou? Compartilhe