Higiene do sono

Especialista fala de medidas para dormir melhor

Por
· 1 min de leitura
O sono vem quando é necessárioO sono vem quando é necessário
O sono vem quando é necessário

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?
 
Uma boa noite de sono é essencial na vida de qualquer pessoa. Segundo dados da Associação Brasileira do Sono (ABS), no Brasil, 60% das pessoas dormem menos de sete horas por noite. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a insônia atinge 40% dos brasileiros e caracteriza-se pela dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou despertar antes do horário desejado. Os distúrbios do sono consistem na alteração dos padrões ou hábitos de dormir. Conforme o Instituto do Sono, as dificuldades relacionadas ao sono incluem insônia, ronco e apneia do sono, sonambulismo, bruxismo, síndrome das pernas inquietas e narcolepsia. Os fatores relacionados à insônia são diversos e individuais. O Ministério da Saúde relata que, problemas clínicos, problemas emocionais passageiros, excitação associada a determinados eventos, expectativas com viagens, compromissos, reuniões, provas, entre outros, são alguns desses fatores. Além disso, a insônia pode se tornar crônica e provocar muito sofrimento ao longo dos anos.
 
Insônia pode ser sintoma
Para o neurologista e especialista em Medicina do Sono, integrante do Corpo Clínico do Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo, Dr. Cassiano Forcelini, a insônia pode ser um sintoma de alguma outra doença. “Pode ser sintoma de depressão, ansiedade, um sintoma da síndrome das pernas inquietas que, pode dar dificuldade para a pessoa começar a dormir, ou ainda, um sintoma de apneia do sono, se a pessoa se acorda no meio da noite e ronca”, afirma.

Medidas que podem ajudar as pessoas a dormirem melhor.
Segundo Cassiano, algumas medidas, do ponto de vista gerais, podem ajudar as pessoas, independente de quem sejam. “Em primeiro lugar, fazer um ritual para o sono”, destaca. Esse ritual seria a sinalização para o cérebro de que está na hora de dormir e é preciso preparar o ambiente.
(Matéria completa em Medicina & Saúde, na edição deste fnal de semana de O Nacional)
Gostou? Compartilhe