Hospital São Vicente integra grupo de estudos para tratamento da Covid-19

Cerca de 80 hospitais estão participando em todo o Brasil

Por
· 1 min de leitura
Foto: Divulgação/HSVPFoto: Divulgação/HSVP
Foto: Divulgação/HSVP

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) passou a participar de estudos para o tratamento da COVID-19. A iniciativa Coalizão COVID Brasil foi concebida por uma parceria entre o Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Hospital Sírio Libanês, Hospital Moinhos de Vento, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva (BRICNet), junto com o Ministério da Saúde, com apoio da farmacêutica EMS.

Cerca de 80 hospitais estão participando em todo o Brasil. Inicialmente, o HSVP integra dois estudos, o Coalizão I e Coalizão II.  Integram o estudo no hospital os médicos Sabrina Henrich, Laura Zaparoli Zanrosso e Alison Blum. 

O estudo Coalizão I incluirá pacientes adultos, internados, com COVID-19 suspeitos ou confirmados e avaliará o efeito da hidroxicloroquina associada ou não à azitromicina. A hipótese a ser testada é a de que, esses medicamentos melhorem os desfechos clínicos, aumentem a chance de o paciente não precisar de incremento de suporte ventilatório e de transitar para estados clínicos melhores.

Já o estudo Coalizão II incluirá pacientes adultos, internados, com infecção provável ou confirmada por SARS-CoV-2 e estado clínico mais grave. O objetivo deste estudo é avaliar a segurança e a eficácia da combinação de azitromicina à terapia apenas com hidroxicloroquina.

Para participar do estudo, os pacientes ou seus responsáveis e médico assistente poderão optar, voluntariamente, a participar ou não das investigações científicas. Aqueles que optarem por não participar, receberão o tratamento usual, sem qualquer prejuízo. Os participantes do Coalizão I receberão o tratamento de acordo com o protocolo, por sete dias, além do acompanhamento e exames, também de acordo com o protocolo, durante a internação hospitalar e até 15 dias após o início do tratamento.

No Coalizão II, os pacientes receberão o tratamento de acordo com o protocolo, por 10 dias, sendo também acompanhados e realizarão exames de acordo com o protocolo, durante a internação hospitalar e até 29 após o início do tratamento.

Gostou? Compartilhe