?? necessário conhecer as causas da dor no nervo ciático

Sintoma exige um diagnóstico para descobrir a sua origem

Por
· 2 min de leitura
O Prof. Dr. Rodrigo Arnold Tisot é cirurgião de coluna do Hospital Ortopédico e do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, atual presidente do Comitê de Coluna da SOT-RS.O Prof. Dr. Rodrigo Arnold Tisot é cirurgião de coluna do Hospital Ortopédico e do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, atual presidente do Comitê de Coluna da SOT-RS.
O Prof. Dr. Rodrigo Arnold Tisot é cirurgião de coluna do Hospital Ortopédico e do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, atual presidente do Comitê de Coluna da SOT-RS.

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

 

Muitas pessoas reclamam de uma dor que, inicialmente, classificam como do nervo ciático. A maioria busca tratamentos para o sintoma, mas não procura saber a causa do problema. O Dr. Rodrigo Tisot, cirurgião de coluna do Hospital Ortopédico e do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, explica que o nervo isquiático, ou mais conhecido popularmente como ciático, é o maior nervo do corpo humano. Ele é formado pelos ramos ventrais das raízes nervosas de L4 a S3 (nervos que saem do final da coluna lombar e início da coluna sacral). Estes nervos se unem e, ao nível da nádega, o ciático desce em direção ao membro inferior, após passar pelo forame isquiático maior (abertura da pelve) e entre os músculos piriforme e gêmeo superior (na nádega).

 

A dor
A ciatalgia, ou dor no nervo ciático, é apenas um sintoma, e não uma doença. Se refere à queixa álgica que percorre o trajeto do referido nervo, ou seja, uma dor que inicia na porção superior da nádega e desce pela face lateral ou posterior da coxa e/ou perna. O paciente pode referir dor apenas na nádega ou coxa, mas também poderá relatar que desce até o pé. A ciatalgia atinge adultos de todas as idades. Desde adolescentes, até adultos da terceira idade. A ciatalgia pode iniciar de forma aguda e intensa, assim como de forma progressiva ou intermitente.

 

Diagnosticar para tratar as causas
Tendo em vista que a ciatalgia é apenas um sintoma, e não uma doença, o fundamental é diagnosticar e tratar a causa que acarreta a ciatalgia. As causas da ciatalgia podem ser muito simples e de fácil correção, como origem postural (pessoa mal sentada ou usando carteira no bolso traseiro, sobre a nádega). Porém, na maioria dos casos, são causadas por doenças na coluna lombar ou sacral, como hérnias de disco, estenose degenerativa do canal vertebral, tumores, deformidades ou infeções na coluna lombossacral. Em relação às causas oriundas da coluna, as mais frequentes são as decorrentes de hérnias discais lombares e estenose degenerativa. Uma causa muito frequente, mas pouco diagnosticada, é a Síndrome do Piriforme, que é a irritação do ciático ao nível da nádega, na região em que ele passa entre o músculo piriforme e gêmeo superior.

 

Origem viral
Causa menos frequente, mas que gera uma dor geralmente intensa, seria a ciatalgia de origem viral, causada pelo herpes zoster. Deve-se ressaltar, ainda, que muitos pacientes que chegam ao consultório referindo uma ciatalgia, na verdade, possuem uma causa de dor não relacionada ao ciático, como bursite trocantérica, síndrome do impacto fêmuro-acetabular ou osteoartrose na articulação coxo-femural. Patologias vasculares, muitas vezes, são também confundidas com ciatalgia.


Diagnóstico e cura
A grande maioria das ciatalgias são curáveis, mas para que isso seja possível, o tratamento não deverá ser apenas sintomático. O tratamento deverá ser voltado fundamentalmente para o fator causal. Por isso, é importante o diagnóstico correto da ciatalgia. Geralmente, quanto mais precoce é o diagnóstico causal, mais rápida é a cura. Quando a inflamação é crônica, ou pior, quando há lesão definitiva na estrutura do referido nervo, o tratamento tende a ser mais longo e poderá não apresentar resultados satisfatórios.

 

Como tratar
Os tratamentos dependerão do diagnóstico causador da ciatalgia. Para tratar o sintoma, são utilizadas medicações analgésicas, anti-inflamatórias e/ou de ação neuropática. Com muita frequência, é possível associar fisioterapia, acupuntura, quiropraxia, e outras modalidades de reabilitação. Mas lembrando de que não basta tratar os sintomas, deve ser fundamentalmente tratado o fator causal que levou o indivíduo a apresentar o referido sintoma clínico. Se a causa da ciatalgia tem origem na coluna, em algumas circunstâncias, apenas uma cirurgia poderia reverter as queixas álgicas apresentadas. Quando há realmente indicação cirúrgica, postergar o referido tratamento poderia, em alguns casos, gerar lesão neuropática crônica e irreversível, com diminuição de força e parestesias (formigamentos) associados no membro afetado.

Gostou? Compartilhe