O exame FAN no diagnóstico de doenças autoimunes

O exame é realizado através da coleta de uma amostra de sangue

Por
· 1 min de leitura
Sinara ChioquettaSinara Chioquetta
Sinara Chioquetta

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O exame FAN (sigla para fator antinuclear) pode ajudar a diagnosticar várias doenças autoimunes, pois detecta a presença de autoanticorpos que, nos casos das doenças autoimunes, atacam as próprias células e tecidos do organismo. “A pesquisa de anticorpos contra antígenos celulares em células HEp-2, também conhecida como fator antinúcleo (FAN HEp-2), é um exame que detecta autoanticorpos contra estruturas celulares do próprio organismo.” explica a responsável técnica pelo Laboratório de Análises Clínicas do Hospital da Cidade, Sinara Chioquetta.

 

Anticorpos 

O exame é realizado através da coleta de uma amostra de sangue, que é enviada para análise laboratorial. Lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide, psoríase, hipotireoidismo, síndrome de Guillain-Barré e Síndrome de Sjögren estão entre as doenças que podem ser identificadas através da realização do FAN. “Em condições normais, o sistema imunológico responde à invasão do nosso organismo por germes produzindo um grande número de anticorpos para combatê-los. Quando uma pessoa tem uma doença autoimune, o organismo age de forma inapropriada e passa a produzir anticorpos contra as células, tecidos e proteínas do próprio corpo, como se esses fossem agentes agressores.” pontua Sinara.

 

Sintomas clínicos 

O resultado deste exame auxilia no diagnóstico médico e é avaliado pelo profissional considerando os sintomas clínicos “o FAN é utilizado como suporte para o diagnóstico de doenças autoimunes sistêmicas e órgão-específico e, ainda, como "triagem" em pacientes que apresentam suspeita clínica de uma doença autoimune, especialmente aquelas com manifestações reumatológicas, como dor articular.” finaliza.

Gostou? Compartilhe