Obesidade e tabagismo afetam diretamente os rins

A doença renal crônica pode conduzir à hemodiálise, diálise peritoneal ou transplante renal

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A doença renal crônica é toda a alteração da forma ou da função do rim, com muitas causas já documentadas e com muitos fatores de risco. A Dra. Natalia Bassani Schuch, médica especialista em Nefrologia e Medicina Interna, do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, explica que a doença renal crônica é de curso prolongado, com evolução assintomática na maior parte do tempo, o que pode atrasar o diagnóstico e o tratamento. Pode ter caráter indolente ou agressivo e quando não tratada adequadamente pode ser necessária uma terapia renal substitutiva, que abrange a hemodiálise, a diálise Peritoneal e o transplante renal.

 

Medicina & Saúde - Quais são os principais fatores de risco para as doenças renais?
Natalia Bassani Schuch - Os dois principais fatores de risco são a diabetes mellitus e a hipertensão arterial. A obesidade, considerada uma das doenças do milênio também afeta diretamente o rim, assim como o tabagismo. Os idosos, por já terem função renal naturalmente reduzida, são mais suscetíveis a desenvolver lesão renal. Outros fatores incluem-se doenças vasculares, insuficiência cardíaca, doenças infecciosas e uso de medicações que são tóxicas para os rins.

 

M&S - Quais são os hábitos diários que contribuem para a prevenção das doenças renais?
NBS - Ter uma boa qualidade de vida é essencial. Controlar o consumo de sal, cessar o tabagismo, realizar atividades físicas, controlar a dieta são os pontos principais. Para as pessoas que têm doenças crônicas, é importante seguir o acompanhamento médico regular e usar corretamente as medicações prescritas.

 

M&S - Quais são os principais grupos de risco para o desenvolvimento desta doença?
NBS - Nesse grupo, encontram-se as pessoas que possuem doenças sistêmicas que também atacam a saúde renal. Dentre elas, as principais são a diabetes Mellitus e a hipertensão arterial (pressão alta). Além dessas, as doenças autoimunes (lúpus) e a má qualidade de vida (sedentários, obesos, tabagistas) também têm potencial aumentado de ter doença renal.

 

M&S - Quais são os principais sintomas para a identificação das doenças renais?
NBS - Dentre as manifestações da doença renal, destacam-se o aumento da pressão arterial, náuseas e vômitos frequentes, alterações ao urinar (dificuldade para urinar, cheiro forte ou alteração de cor da urina, dor ou queimação para urinar, espuma na urina), fraqueza constante e edema (inchaço), principalmente ao redor dos olhos e nas pernas.

 

M&S - Algumas pesquisas indicam que o fumo pode triplicar o risco de doença renal. Como ocorre esta relação?
NBS - Duas condições que são problemas de saúde pública: o tabagismo e a doença renal. Quando inalado, o cigarro produz milhares de partículas e gases, sendo alguns tóxicos para os rins. Nesse grupo, encontram-se alguns metais pesados (cádmio e chumbo), que atingem níveis sanguíneos superiores a 40%, que agem negativamente uma das partes microscópicas dos rins, conhecidas como túbulos renais. A nicotina também induz a alterações na pressão arterial, frequência cardíaca e provoca fechamento de pequenos vasos (vasoconstrição), induzindo a pequenas isquemias e inflamações, tanto no rim quanto em diversos órgãos. Outro mecanismo que também atua na perda de função renal é a contribuição do cigarro na formação de placas de gorduras nas artérias. Essas se formam também nas artérias renais, causando fechamento do vaso progressivo, com perda de irrigação sanguínea no órgão.

 

M&S - Quais os cuidados que devem ser observados com a automedicação?
NBS - Do ponto de vista nefrológico, o consumo de remédios sem orientação médica pode ser extremamente danoso à saúde do nosso rim. Destacam-se aqui o uso indiscriminado de anti-inflamatórios não esteroides, que são muito utilizados no controle de dores agudas e crônicas. Estes medicamentos quando usados sem receita e por tempo prolongado podem induzir uma lesão no rim, irreversível, que acaba por desenvolver fibrose (cicatriz) e perda de função renal. Assemelham-se aos anti-inflamatórios alguns antibióticos. Além desses, hoje sabemos que qualquer medicação pode lesionar o rim em graus maiores ou menores, dependendo de cada organismo e do tempo utilizado. Fica a recomendação de somente utilizar remédios com orientação de seu médico.

 

M&S - Qual a importância da saúde renal para a saúde geral do indivíduo?
NBS - Os rins desempenham papel fundamental no organismo. Chamados de “filtros”, eles são responsáveis por retirar do sangue toda substância/ toxina que naquele momento não é necessária para o funcionamento do corpo. Também é considerado um órgão endócrino, pois produz hormônios que são essenciais para a formação do sangue e dos ossos, que são a eritropoetina e a transformação da vitamina D inativa em vitamina D ativa. Ainda, regula a pressão arterial e os líquidos corporais no momento em que é responsável pela reabsorção de sódio e controle de água, para que não haja perda desta em excesso.

Gostou? Compartilhe