Obesidade infantil pode começar no lanche da escola

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Alimentação saudável e balanceada também deve fazer parte do lanche que vai para a escola. É importante que os pais saibam o que está indo na lancheira do filho. “A obesidade na infância tornou-se comum e é preocupação constante nos consultórios dos médicos e nutricionistas”, comenta a nutricionista Ana Maria Bueno.

De acordo com ela, a reeducação dos hábitos alimentares deve partir primeiramente do exemplo da família e, além disso, “é necessária a implantação de educação alimentar nas escolas. A criança passa um terço da vida ativa na escola, portanto, devem ocorrer as orientações em direção aos bons hábitos alimentares. As crianças acima do peso vivem em constante sofrimento psicológico, pois sofrem com a discriminação”, salienta.

Para brincar, fazer exercícios e estudar é necessário a reposição de energia frequente, “por isso, os alunos não devem permanecer longos períodos em jejum. Um lanche saudável durante o recreio ajuda a criança a aprender melhor, a assimilar as informações e a desenvolver a capacidade de interação pedagógica. Para reposição de líquidos, água, chás, sucos de frutas, água de coco são boas opções”, ensina.

Cada criança tem uma necessidade nutricional diferente, mas o certo é que a alimentação durante o recreio é fundamental. “O segredo está nas combinações feitas entre as variedades dos alimentos. Cardápios coloridos, variados e atraentes estimulam a criança”, destaca Ana Maria. De acordo com ela, devem ser evitados os salgadinhos, hambúrgueres e refrigerantes, “que além de serem os principais causadores da obesidade infantil, fazem mal à saúde, ocasionando distúrbios metabólicos, como o colesterol e a glicemia”, explica.

O mais recomendado é balancear a alimentação: frutas e cereais são energéticos e ótimos para a saúde. “Os alimentos protéicos, que também têm vitaminas e sais minerais, são essenciais no dia a dia. Um bom exemplo é o queijinho pasteurizado. Já os ricos em fibras são recomendados para ajudar o bom funcionamento intestinal. Os mais indicados são os cereais ou o pão integral. Alimento como o bolo de cenoura, que contém betacaroteno são bons para os olhos e também para a pele. Sucos de frutas e água de coco são bem vindos, pois contém potássio, que beneficia o coração e a pressão sanguínea. A famosa vitamina C é fundamental para uma boa cicatrização e pode ser encontrada no caju, laranja e no mamão. O ideal é comer um pouco de cada grupo alimentar. Para beber, o aconselhável é levar achocolatados ou sucos de frutas. Ambos têm valor nutritivo, bem diferente dos refrigerantes”, alerta.

Sugestão

Confira uma sugestão de alimentos para serem colocados na lancheira. O cardápio foi elaborado pela nutricionista.

Segunda-feira
- 1 achocolatado
- 1 pedaço de bolo de cenoura ou abóbora
- 1 banana pequena ou pedacinho de melancia
- 1 água

Terça-feira
- 1 copo de suco de frutas (por exemplo: laranja)
- 2 torradas com geléia
- 1 queijinho pasteurizado
- 1 água

Quarta-feira

- 1 água de coco
- 1 fatia de pão integral com peito de peru e requeijão
- moranguinhos
- 1 água

Quinta-feira

- 1 iogurte com cereais
- 1 pedaço de mamão
- 1 lanchinho no pão com patê de atum e requeijão
- 1 água

Sexta-feira

- 1 copo de chá de frutas
- 2 bisnaguinhas integrais
- pedacinhos de maçã cortadinha (passe no limão ou laranja p/ não escurecer
- 1 água

Colaborou
Ana Maria Bueno, nutricionista

Gostou? Compartilhe