Os benefícios das construções inteligentes e sustentáveis

Medicina & Saúde - coluna da arquiteta especializada em Geobiologia Maiara Morsch

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A construção civil é uma das principais responsáveis pelos impactos causados à natureza. Por outro lado, as construções sustentáveis garantem a utilizaçãoracional dos recursos naturais. Desde seu projeto até sua construção e manutenção, elas visam diminuir o consumo de energia e materiais, produzir menos resíduos e usufruir de energias limpas. Assim, além da economia com manutenção, as construções verdes contribuem para a qualidade de vida do usuário e para o meio ambiente.

Frente a isso, cada vez mais empresáriosbrasileiros estão investindo em construções sustentáveis, com êxito e lucratividade. Atualmente estima-se um investimento de 5 a 15% maior do que em uma construção convencional, onde geralmente obtêm-se retorno financeiro em cinco anos.

O grande sucesso dos pioneiros “verdes” comprova que esse tipo de empreendimento é um grande atrativo para as diversas classes sociais e a tendência é ter cada dia mais adeptos, libertos do modo antigo de construir.

Mas, para ser chamada de sustentável, uma edificação precisa estar enquadrada em determinadas premissas conceituais de projeto para efetivamente reduzir a demanda de energia e as emissões de CO2 e principalmente garantir o conforto ambiental e a economia aos usuários.

Não há receita padrão ou estratégias pré-determinadas que as tornem sustentáveis. Cada caso deve ser minuciosamente analisado levando-se em consideração as condições climáticas, biológicas, topográficas e de vizinhança, para então dar-se inicio aos estudos preliminares da edificação em conjunto com os estudos bioclimáticos.

Com o aproveitamento de energias passivas como radiação solar e ventilação natural, é possível garantir conforto térmico e lumínico em boa parte do ano e ainda diminuir o consumo energético da edificação. Porém tudo deve ser bem pensado e dimensionado para tal uso e necessidade, pois o excesso de luz natural, por exemplo, pode gerar ofuscamento e desconforto visual, prejudicando a saúde do usuário e elevando a carga térmica (calor) do ambiente.

Tais parâmetros são decisivos para garantir o bom desempenho da edificação. O uso de mecanismos de sustentabilidade, como aproveitamento de água da chuva, fechamentos de alto desempenho, placas solares e coberturas vivas não garantem conforto e economia de energia por si só, mas atuam como coadjuvantes a um bom projeto.

A boa notícia é que para se atingir uma edificação mais saudável e confortável, na maioria dos casos um projeto bem desenvolvido garante excelentes resultados sem aumentar os custos na execução e de quebra diminui os gastos com energia.

 

Maiara Morsch é arquiteta e urbanista, professora universitária, especialista em Sustentabilidade em Edificações e em Geobiologia

Gostou? Compartilhe