Preconceito com a psoríase atinge a autoestima

Doença inflamatória é crônica, mas não é contagiosa

Por
· 1 min de leitura
Doença não é contagiosaDoença não é contagiosa
Doença não é contagiosa

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?
Bastante comum, a psoríase é uma doença inflamatória da pele e não tem cura. Apresenta características como as lesões avermelhadas que surgem de maneira descamativa no corpo, especialmente nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo. O importante é esclarecer que não é contagiosa. Mesmo assim, ainda há muito preconceito em relação à psoríase. As manchas geram alguns receios que levam os pacientes a esconder as lesões. A Dra. Juliana Mazzoleni Stramari, médica dermatologista do corpo clínico do Hospital de Clínicas de Passo Fundo explica que a psoríase é uma doença inflamatória da pele, autoimune, de evolução crônica e não contagiosa. Acomete principalmente adultos entre 20 e 40 anos de idade, afetando igualmente homens e mulheres. Segundo a Organização Mundial da Saúde, atinge cerca de 3% da população mundial.
 
Não é contagiosa
A psoríase não tem cura, mas tem diversos tratamentos que podem controlar a doença. E é muito importante salientar que a psoríase não é contagiosa. A psoríase pode acometer qualquer área do corpo, mas as áreas mais atingidas são os cotovelos, joelhos, couro cabeludo e tronco.
 
O preconceito
Infelizmente, devido ao aspecto das lesões, muitas pessoas que desconhecem a doença acreditam que seja contagiosa, ocasionando comentários preconceituosos e os pacientes podem ser isolados dos grupos. É importante divulgarmos a doença e explicar que não se “pega” psoríase pelo toque, por compartilhar roupas ou objetos. A conscientização da população sobre a doença é o ponto mais importante para combater o preconceito acerca da psoríase.
 
Gostou? Compartilhe