Seca pode levar à síndrome do olho seco

Baixa umidade aumenta a evaporação da lágrima

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Mais do que um indicador para as previsões meteorológicas, a umidade relativa do ar também exerce grande influência sobre a nossa saúde. É a quantidade de água existente no ar na forma de vapor. Atua na atmosfera e, em maior ou menor volume, influencia na sensação térmica, chuvas e no corpo humano. Oftalmologista do Hospital São Vicente, o Dr. Eduardo Ventura, Fellow em doenças externas oculares e córnea, explica que a baixa umidade do ar, aumenta a evaporação excessiva da lágrima diminuindo a lubrificação da camada mais externa da córnea e em consequência ,ocasiona sintomas relacionados ao olho seco. A lágrima tem a função de lubrificar e nutrir a superfície ocular, colaborando na captação de oxigênio do ar para a córnea, além de ter papel importante na regeneração de lesões nos olhos e proteger da ação de bactérias e partículas de poeira. A falta dela pode causar uma doença crônica chamada síndrome de olho seco.

 

Qualidade da lágrima
A lágrima é responsável pela lubrificação e nutrição das camadas mais externas do olho, a sua diminuição ou a má qualidade da composição da lágrima, acarretará a instalação de várias doenças como o olho seco, conjuntivite e, principalmente, a proteção contra agentes nocivos à córnea, porque ela é a primeira barreira de defesa do olho. A falta de lubrificação é tratada com o uso de lubrificantes oculares em forma de colírio diariamente. Mas o colírio indicado não será o mesmo para todas as pessoas. Isso porque o olho seco tem inúmeras causas e, dependendo do caso, poderá se fazer uso de outros medicamentos para o tratamento. Estudos realizados até agora indicam que 90% dos casos estão ligados à redução natural da produção de lágrimas como consequência do envelhecimento. A prevalência é maior no sexo feminino, e o problema é agravado na menopausa devido às mudanças hormonais.

 

Evolução para conjuntivite
A síndrome do olho seco crônica leva a uma diminuição das defesas da córnea e da conjuntiva, ocasionando uma diminuição da proteção contra a ação de bactérias e agentes nocivos, isto faz com que aumente a chance de estes agentes ocasionarem inflamação e consequente infecção evoluindo para conjuntivite. Qualquer infecção ocular pode ter consequências graves quando não tratadas adequadamente, inclusive o uso inadvertido de colírios nessas condições podem agravar essas doenças.

 

Sinais
Os sintomas mais comuns relacionados ao olho seco, são ardência, irritação ocular, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em ambientes com ar condicionado ou em frente ao computador ou olhos embaçados no final do dia. Várias são as causas de conjuntivite, e somente o profissional oftalmologista poderá e deverá fazer uma avaliação e tomar a conduta mais adequada para cada caso, minimizando assim as possibilidades de agravamento do quadro.

Gostou? Compartilhe