Uso de implantes dentários é cada vez frequente em consultórios

O tratamento odontológico com implantes dentários tem se tornado cada vez mais frequente na clínica odontológica.

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Cerca de 800 mil procedimentos são realizados por ano no Brasil. Considerando que o tratamento reabilitador com implantes dentários é um procedimento pré-protético, é fundamental que o cirurgião-dentista, solicite exames complementares aos seus pacientes (Raio x, tomografias, modelos de estudo, entre outros), objetivando assim realizar o planejamento reverso, ou seja, vislumbrar o resultado final do tratamento, antes mesmo de iniciar sua execução

O tratamento odontológico com implantes dentários tem se tornado cada vez mais frequente na clínica odontológica. Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), cerca de 800 mil procedimentos são realizados por ano no Brasil. Por muitos anos a função mastigatória foi o fator principal para este tipo de tratamento, porém a globalização e a velocidade de informações, tornou nossa sociedade mais competitiva e a aparência física fez-se fundamental para a evolução pessoal no mercado de trabalho, tornando a beleza uma preocupação na sociedade moderna.

Segundo o professor da Escola de Odontologia da Imed, Leandro Cericato, “para que o tratamento com implantes dentários obtenha sucesso, além da qualidade do material e da técnica cirúrgica empregada pelo profissional, é preciso que o paciente apresente algumas condições biológicas mínimas, como a quantidade e qualidade óssea para a instalação dos implantes, bem como o biótipo gengival e linha do sorriso favoráveis, fatores estes que são determinantes para promover uma estética de excelência”.

Considerando que o tratamento reabilitador com implantes dentários é um procedimento pré-protético, é fundamental que o cirurgião-dentista, solicite exames complementares aos seus pacientes (Raio x, tomografias, modelos de estudo, entre outros), objetivando assim realizar o planejamento reverso, ou seja, vislumbrar o resultado final do tratamento, antes mesmo de iniciar sua execução.

O docente explica que reabilitar a região anterior da maxila, pode-se dizer que é um dos procedimentos mais difíceis de execução, “nesta área a reabsorção óssea provocada pela perda dos dentes poderá vir a comprometer diretamente o resultado estético final. Para minimizar esta situação, um cuidadoso plano de tratamento envolvendo enxerto ósseo e manejo do tecido gengival, deverá ser empregado pelo cirurgião-dentista, afim de favorecer e respeitar os princípios biomecânicos e estéticos necessários para a longevidade do trabalho”.

Outro fator muito importante do tratamento com implantes dentários envolve cooperação direta do paciente a fim de manter uma higiene oral satisfatória, visto que, as patologias peri-implantares ocorrem devido à formação da placa bacteriana na cavidade oral.
É de fundamental importância que os resultados obtidos no tratamento, satisfaçam os anseios do paciente, melhorando aspectos psicológicos e comportamentais, permitindo a reabilitação estética e funcional (mastigação), devolvendo a qualidade de vida social ao indivíduo.

Cresce o número de implantes dentários no Brasil
O uso de implantes dentários vem se tornando comum entre os brasileiros, e a busca não se dá apenas por uma questão estética, mas por todo o desconforto pelo qual os pacientes não estão mais dispostos a passar, gerado pela falta dos dentes. No Brasil, cerca de 800 mil implantes e 2,4 milhões de componentes de próteses dentárias são colocados por ano no país, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar (Abimo). E 90% deste mercado é atendido pela própria indústria nacional, que vem crescendo, investindo em tecnologia e já exporta para diversos países, ainda de acordo com a associação.

O bom desempenho da indústria brasileira coloca no mercado produtos de qualidade e de custo reduzido, tornando o tratamento acessível. O aumento na demanda pela reabilitação oral com implantes também se dá pelo crescimento de especialistas habilitados para realizar tal procedimento. Entre 2004 e 2008, o número de novos implantodontistas por ano cresceu cerca de 260%. No início deste período, 287 novos especialistas foram registrados. Já no ano passado o número pulou para 748, de acordo com dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO).

 

Gostou? Compartilhe