Plano de distribuição e armazenamento das vacinas é discutido em reunião virtual

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A elaboração do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul foi o tema de uma reunião virtual realizada na terça-feira (22/12) na Secretaria da Saúde (SES), na capital. Integrantes do Centro de Operações de Emergência (COE) e do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) apresentaram as linhas gerais da infraestrutura da rede de frio para armazenamento de vacinas e da logística de distribuição que será montada em conjunto com os municípios.

“Estamos em condições de armazenar e distribuir todos os tipos de vacinas, a nossa rede de frio está organizada, temos experiência com o nosso Programa Estadual de Imunizações (PEI)”, afirmou a secretária da Saúde, Arita Bergmann. A secretária ressaltou que reduzir o número de casos e de óbitos pela Covid-19, bem como a transmissão da doença, vacinando grupos prioritários com maior risco de complicações e também populações com maior exposição ao contágio, como os profissionais da saúde, é o objetivo da estratégia de vacinação no Estado.

O programa realiza anualmente diversas campanhas de vacinação contra doenças de transmissão viral, como gripe, sarampo e poliomielite. A iniciativa pretende estabelecer diretrizes para as ações de operacionalização da vacinação no Rio Grande do Sul, em consonância com o Plano Nacional, por meio de eixos integrantes e de forma coordenada com os municípios, setores afins e instituições parceiras.

A população estimada pelo Ministério da Saúde para receber a vacina contra a Covid-19 no RS é de 4,5 milhões de pessoas, incluindo todos os grupos tradicionalmente priorizados em outras campanhas. Para a produção de anticorpos, cada pessoa precisa de duas aplicações, o que determina que serão necessárias mais de 9 milhões de doses para a imunização dos gaúchos. Haverá um calendário a ser formulado, indicando cada uma das fases de vacinação, conforme os públicos-alvo. Os volumes de vacinas e insumos serão disponibilizados em remessas acompanhando cada uma dessas fases.

Armazenamento e distribuição

O Programa Estadual de Imunizações abrange uma extensão territorial de mais de 281,7 milhões de km², com 497 municípios onde vivem 11,4 milhões de pessoas. São 18 Coordenadorias Regionais de Saúde, com 18 Centrais Regionais de Frio, uma Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), dois Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais – Cries (um Estadual e um do município de Porto Alegre), além de cerca de 1.800 salas de vacinas em todo o RS.

A secretária Arita destacou que, além das centrais de frio, “temos uma rede de apoio, proposta no plano, formada por instituições e universidades, com ofertas de freezers para armazenamento de doses”. Em relação ao transporte, a secretária adiantou que há possibilidade da formação de parcerias entre o Estado e empresas de transportes terrestre e aéreo. “Se houver necessidade, vamos fazer uma contratação por meio de licitação de transporte de caminhões com refrigeração”, disse Arita.

No caso de vacinas que exigem armazenamento em maior temperatura negativa, os próprios fabricantes disponibilizarão caixas de acondicionamento que garantem temperaturas de até 70°C negativos. Atualmente, a central dispõe de um caminhão com baú refrigerado para a entrega das cargas mensais nas 18 regionais de saúde.

A reunião contou com a participação de representantes da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e Conselho Estadual da Saúde (CES), entre outros.


Gostou? Compartilhe