COVID-19 - Mais de 20% da população de Passo Fundo já recebeu a primeira dose

Atraso da segunda dose cai para 5% no município

Por
· 4 min de leitura
41.800 pessoas já foram vacinadas (Foto: Diogo Zanatta)41.800 pessoas já foram vacinadas (Foto: Diogo Zanatta)
41.800 pessoas já foram vacinadas (Foto: Diogo Zanatta)
Você prefere ouvir essa matéria?

Quatro meses depois de Passo Fundo aplicar a primeira dose de vacina contra Covid-19, em 19 de janeiro, a cidade soma 41.800 pessoas imunizadas. O número representa 20.7% da população geral, conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde na atualização de ontem (19). 

A maioria das vacinas foi destinada ao grupo de pessoas com idade acima de 60 anos. A população estimada nessa faixa etária é de aproximadamente 34.152 pessoas. Desse total, já receberam a primeira dose mais de 26,5 mil da população em geral e 1,1 mil residentes em Instituições de Longa Permanência, o que representa 80,9% do total. Como as doses aplicadas ontem (19) ainda não foram contabilizadas, a estimativa da Secretaria de Saúde é de que restam ainda cerca de quatro mil pessoas para serem vacinadas. 

Segurança

A vacinação de servidores dos setores da segurança já aplicou a primeira dose em 733 pessoas, e está praticamente concluída, com 99% do grupo. O restante não compareceu por problemas de saúde ou outros motivos, conforme a secretária, Cristine Pilati. 

Profissionais da saúde

A vacinação do primeiro grupo prioritário, os profissionais da saúde, já foi concluída. Mais de 100% recebeu a primeira dose, alcançando mais de 12,2 mil pessoas. A cidade também vacinou 84 indígenas, 28 pessoas com deficiência, 34 funcionários do Sistema de Privação de Liberdade, 2 pessoas com comorbidades e 28 vacinados estão contabilizados como grupo “não informado”. 

Próximo grupo 

O próximo grupo, conforme o Plano Nacional de Imunização, será pessoas com comorbidades. No entanto, no âmbito municipal, a tentativa do estado de priorizar os professores gera dúvidas. “O estado não autorizou o começo das comorbidades e também não chegou a vacina. Não sabemos se o estado vai continuar seguindo o plano nacional”, explicou Cristine Pilati.

A vacinação na cidade depende do envio de doses pelo Ministério da Saúde. Até agora, foram 13 remessas, com 64.411 doses, das quais já foram aplicadas 90%. O maior lote veio em 02 de abril, com mais de 10,3 mil doses.

Atraso da segunda dose cai para 5% em Passo Fundo

A vacinação contra a Covid-19 no Brasil enfrenta um novo momento e desafio: o retorno para aplicação da segunda dose (D2). Em todo o país, 1,5 milhão de brasileiros estavam com a segunda dose da vacina contra a covid-19 atrasada, conforme divulgado na terça-feira (13) pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. No estado, 101 mil pessoas estão na lista das que já deveriam ter sido vacinadas. Em Passo Fundo, a Secretaria estimava que 10% dos vacinados estavam em atraso no final da última semana. Com os últimos dias de vacinação, o número caiu pela metade. “Foi muito bom, a gente conseguiu que as pessoas aderissem”, afirmou a Secretária de Saúde, Cristine Pilati.

Ainda assim, a Secretaria estima que ocorra uma desistência entre 5% dos vacinados. O maior atraso é apresentado pelos idosos e as causas variam, desde a perda da carteira de vacinação, até o receio de tomar a segunda dose. “Eu acho que um pouco pode ser receio por causa das divulgações, algumas inclusive fake, sobre reações graves. As pessoas se confundem e ficam com medo”, avalia Cristine. Além disso, há casos de pessoas que viajaram, que ficaram hospitalizadas ou que tiveram Covid-19. Ainda há as pessoas que no período fizeram a vacina contra a gripe e que agora precisam esperar o período de 14 dias.

No entanto, a segunda dose é essencial para que o esquema vacinal fique completo e ocorra a imunização. “Uma dose, com as vacinas que temos no Brasil, não atinge a imunização”, lembra a secretária. Além disso, as vacinas utilizadas possuem aprovação da Anvisa e estudos que comprovam segurança e eficácia. A vacina de Oxford/Astrazeneca, por exemplo, já teve seu uso recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Agência Europeia de Medicamentos (EMA) após uma possível relação com coágulos sanguíneos ser identificada. A conclusão das entidades é de que a reação é raríssima e os benefícios da vacina superam os riscos.

Dúvidas

  • Quem perdeu o dia determinado na carteira, ainda pode tomar a vacina?

Sim, a recomendação é que a população vá se vacinar mesmo após o dia especificado na carteira de vacinação. Estamos fazendo um chamamento que venham ainda, não deixem de vir, pessoas que perderam a carteirinha podem vir, a gente procura no sistema.

  • Quem está com Covid-19 pode tomar a segunda dose?

Quem foi infectado com a Covid-19 deve esperar 30 dias após o resultado positivo do teste para tomar a segunda dose da vacina.

  • Pode tomar a vacina da Covid-19 e Gripe?

Com o início da campanha de vacinação da Influenza, muitas dúvidas surgiram. A orientação é que seja respeitado um intervalo de 14 dias entre a vacina da gripe e da Covid-19.

  • Pode tomar a primeira dose após a data especificada para a faixa etária?

Sim. A vacinação é sempre destinada para pessoas com uma determinada idade ou mais. Isto é, quando a vacinação é para pessoas com 62 anos, podem se vacinar pessoas com 62 anos ou mais. “Se perdeu o ano de vacinação pode ir em ano menor”, explicou Cristine. 

  • Quem nasceu em 1961 e não completou 60 anos poderá se vacinar?

Não. A Secretária Cristine esclarece que a categoria de prioridade irá mudar. Os idosos são pessoas com mais de 60 anos, sendo assim, o ano de nascimento não será mais critério e sim a idade. Para se vacinar será necessário ter 60 anos completos. 

Gostou? Compartilhe