Cavalos abandonados causam acidente

Eventualidade traz à tona a burocracia do recolhimento dos animais abandonados

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Daniella Faria

Um acidente na noite de domingo, por volta das 19h, no Km 114, da ERS 324, próximo ao bairro Jardim da Colina, ocasionou a morte de dois cavalos. O motorista do ônibus da Coleurb que faz a linha Parque Farroupilha/Lucas Araújo não conseguiu desviar dos animais. Segundo informações de pessoas que moram próximo ao local, os cavalos estavam há pelo menos dois dias soltos próximo a ERS 324. Na manhã de ontem, por volta das 9h30, os animais foram recolhidos pelas máquinas da Secretaria de Transporte e Serviços Gerais. O dono ainda não foi identificado.

A burocracia para recolher animais como esses, que foram abandonados pelo dono, mostra que a situação atualmente é bem complicada. Há alguns anos o setor que recolhia os animais era a Secretaria de Transporte e Serviços Gerais, mas hoje ela não faz mais. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Clóvis Alves, a sua pasta só realiza o recolhimento dos animais que sofrem de maus tratos. “Essa situação de animais abandonados é complicada, não temos para onde levá-los, por isso ainda não fazemos esse trabalho. Mas precisamos encontrar alternativas”, ressalta. Por mês, pelo menos três cavalos são recolhidos pela Secretaria do Meio Ambiente. Eles são encaminhados para uma hospedaria, onde o custo para sustentá-los é alto, girando em torno de R$ 300 entre medicamentos e alimentação. “Por isso não pegamos mais. Depois disso eles são encaminhados para a doação”, diz.

Quando os animais estão em vias públicas, o problema, segundo Alves, deve ser encaminhado à Secretaria de Segurança, responsável pelo trânsito da cidade. “Precisamos reunir as três Secretarias para montar um programa, delegar as ações em qual ficará a responsabilidade e intensificar as vistorias”, avalia. Vale lembrar que proprietários que abandonam animais são passíveis de multa.

Gostou? Compartilhe