Educação pela arte conscientiza jovens no CRAS III

Jovens participam de atividades de promoção social, visando a orientação e o fortalecimento do convívio sócio-familiar.

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Promover a ascensão social através das artes, estimulando a reflexão sobre temas atuais, foi o objetivo do “Teatro das Sombras”, realizado na última quinta-feira (1º) no Centro de Referência de Assistência Social da Planaltina (CRAS) da Prefeitura Municipal. Na oportunidade, jovens do Projeto Guri-Guria apresentaram três peças com a temática do abandono.

De acordo com a Educadora Social do CRAS III, Angela Nunzio, eles mesmos fizeram o roteiro das histórias, que tratavam sobre o abandono de crianças, idosos, doentes, e adolescentes grávidas. Essa oficina é oferecida duas vezes por semana, sendo uma vez trabalhando desenho e pintura e outra teatro. “Eles também construíram os bonecos, utilizando jornal e fita adesiva”, disse ela, enfatizando que é importante eles se conscientizarem desde cedo sobre esse tema.

Há cerca de três anos frequentando o CRAS III, a jovem de 15 anos, Sabrina Bruschi, aluna da 8ª série da Escola Estadual Jerônimo Coelho,  e moradora do bairro Ivo Ferreira, contou que foi trazida ao centro pela primeira vez pela avó, que fazia um curso de pintura no local. Ela explicou que foi convidada pela psicóloga do CRAS à participar do grupo de jovens, e a partir daí ingressou nas oficinas oferecidas. “Eu venho aqui no CRAS porque eu quero, e porque eu gosto. Aprendo com as atividades e faço muita amizade. Inclusive digo as minhas amigas que não vale a pena ficar o dia inteiro na rua ou no computador. Digo que essas atividades estão mudando minha vida”, completou.

Já o jovem João Vitor Carvalho, de 13 anos, morador do bairro Planaltina e aluno da 8ª série da Escola Estadual Monteiro Lobato, contou que está no CRAS III há dois anos, e que foi inscrito pela sua mãe. Ele começou na oficina de capoeira, atualmente frequenta a de artes, a de percussão, a de educação física e futebol, e a oficina de violão e canto. João Vitor também destacou que prefere ficar no CRAS no contra-turno escolar ao invés de ficar em casa. “Várias vezes já cheguei na aula de educação artística da minha escola sabendo a técnica que a professora estava passando. Eu aprendi primeiro  aqui na oficina de Artes”, contou.

A coordenadora de Atividades do CRAS III, Vanda Aparecida Favero Pino, explicou que na elaboração das atividades propostas aos jovens, sempre é considerado a vivência deles, por isso eles sempre estão colaborando e construindo os temas propostos em conjunto com os profissionais do Centro. “Queremos que o interesse deles seja contemplado”, concluiu.

O CRAS é uma unidade descentralizada da Secretaria de Cidadania e Assistência Social (Semcas), que tem por objetivo atuar onde as famílias estão inseridas. O Centro da Vila Planaltina atende mais de 50 bairros daquela região, realizando diversas atividades para promoção social das pessoas, visando a orientação e o fortalecimento do convívio sócio-familiar, inclusive com a oferta de cursos de capacitação aos adultos. Ele está atualmente com cerca de duas mil famílias cadastradas.

Gostou? Compartilhe