Mulher da à luz dentro de um carro em Passo Fundo

Parto ocorreu na manhã de ontem quando a mãe era levada para a maternidade

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

“Nunca mais vou esquecer este dia”. A frase, dita com um sorriso estampado no rosto e um brilho no olho, resume o sentimento da jovem Josiane Padilha, 24 anos, que viveu seu dia de parteira ao ajudar a amiga Aline da Silva Tross, 30, a dar à luz a uma menina de 2,9kg, dentro de um automóvel na manhã de ontem, em Passo Fundo.  O bebê Isabeli Tereza Severina Tross, nasceu no Monza do avô, por volta das 10horas, no bairro Edmundo Trein, a caminho do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP).

Com a filha nos braços e recuperando-se na maternidade, Aline contou ontem à tarde que se preparava para realizar uma  consulta previamente agendada no  PSF do bairro Jaboticabal, onde reside, quando a bolsa se rompeu e antecipou em cinco dias a previsão do nascimento. A amiga imediatamente ligou para o Corpo de Bombeiros e Samu. Como não havia ambulância disponível naquele momento, a alternativa foi embarcar às pressas no carro do pai, Adão Tross, 67 anos, e seguir para o hospital.

 Ao chegar na rua Luiz Lângaro, no bairro Edmundo Trein, veio a segunda surpresa: “Pedi para o pai parar o carro porque a criança já estava nascendo” disse Aline. A amiga, que trabalha como auxiliar de limpeza, saltou rapidamente do banco traseiro do carro e passou a ajudar no parto. “Foi um momento inesquecível, procurei fazer tudo com muito cuidado. Como ela não chorava, dei dois tapinhas, aí ouvi o choro. Depois coloquei sobre a barriga da mãe por causa do cordão umbilical” lembra orgulhosa a jovem, que também é mãe de uma menina de seis anos. Moradores das proximidades perceberam a situação de emergência e correram para auxiliar. Alguns trouxeram lençol e toalha para enrolar a menina.

Apesar do lugar inusitado, Aline disse ter procurado manter a calma durante todo o parto, para não assustar a amiga e não prejudicar o nascimento de sua terceira filha. “Senti uma mistura de emoção, felicidade e também de medo por estar no carro”.

Já o avô não teve a mesma tranquilidade da filha. Nervoso e muito emocionado com a cena, não teve mais condições de dirigir. Um morador das proximidades assumiu o volante do Monza e seguiu para o hospital. No trajeto, uma viatura da Brigada Militar passou a escoltar o veículo, abrindo caminho no trânsito para agilizar o atendimento médico. “Foi o trajeto mais longo da minha vida. A gente não chegava nunca” brinca Josiane.

Levada imediatamente para a maternidade do HSVP, a  pequena Izabeli  recebeu todo atendimento necessário. “Elas fizeram todo o procedimento de parto corretamente. Foi um parto natural, apesar do lugar. É uma menina saudável” observa a enfermeira, Carina Rosseto.

Amizade de infância

A experiência vivenciada ontem reforçou ainda mais uma amizade de infância entre a mãe a parteira. Aline lembrou que, por ser seis anos mais velha, costumava pegar a amiga no colo quando criança. “O que ela fez hoje não tem  preço” comenta.

Gostou? Compartilhe