OPINIÃO

Coluna Neivo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Eleições 2016 –  perspectivas
As novas regras para o processo eleitoral aprovadas em 2015 vão passar pelo primeiro teste neste ano. A redução da campanha de 90 para 35 dias vem ao encontro da realidade vivida pelas agremiações partidárias. Com raras exceções os partidos contam nas diferentes esferas de poder com quadros em processo de denúncia, investigação ou condenação por envolvimento de corrupção e má gestão do erário. Os candidatos a prefeito vão poder gastar até 70% do valor declarado pelo candidato que mais gastou no pleito anterior.
 
I I
A propaganda eleitoral no rádio e na TV encolheram dez dias e vão ser veiculadas durante cinco semanas. Os programas diários vão ter dois blocos de 10 minutos cada para candidatos à majoritária. E ainda, 80 minutos de inserções diárias, das quais 60% para os candidatos a prefeito e o restante para vereadores, com duração de 30 a 60 segundos. O prazo mínimo para filiação partidária é de seis meses antes da eleição programada para o dia dois de outubro. O teto de gasto de campanha para prefeito em municípios com até 10 mil habitantes é de R$ 100 mil.
 
I I I
Com o crescente desemprego é crível que o haverá uma corrida de interessados a cabos eleitorais. Para municípios de até 30 mil eleitores, que reflete a realidade de 31 dos 32 associados da Amau, ficam limitados a 1% do eleitorado por candidato. Os adesivos em carros poderão ter no máximo 50 cm x 40 cm, ou microperfurados no tamanho limite do para-brisa traseiro. Bandeiras e mesas para distribuição de material em vias públicas vão ser permitidas desde que não atrapalhe o fluxo de pedestres. Outdoors eletrônicos e bonecos estão vedados, e a campanha nas redes sociais estará liberada.  
 
Curtas:
# O quadro político, marcado por escândalos de corrupção, deve refletir nas eleições municipais.
# Analistas e institutos de pesquisas apontam que o contexto político deve induzir o voo do eleitor em candidaturas inéditas.
# Dirigentes de entidades reconhecidas pelo trabalho social e de representação, que exercem o cargo sem remuneração, tem sido sondados como candidatos.
# O engenheiro agrônomo e produtor rural Luís Carlos da Silva, presidente da Accias, nunca disputou um cargo eletivo e integra a lista dos possíveis candidatos a prefeito de Getúlio Vargas.
# Filiado ao PP, o presidente da Accias é irmão do também engenheiro agrônomo Paulo Edgar da Silva, ex. vereador e vice-prefeito (1997 - 2000), atual presidente da executiva municipal..
# Situação idêntica ocorre em Erechim, onde o presidente da poderosa Associação Comercial, Cultural, Industrial (Accie) assinou ficha no PSD.
# Empresário bem sucedido Claudionor Mores tem 51 anos e mantém a cautela necessária, pois as convenções sequer foram marcadas.
# O PP de Getúlio Vargas reuniu integrantes da executiva e do diretório na noite de terça-feira (19).
# A pauta do encontro, que contou com a presença de integrantes do primeiro escalão do governo Prezzotto/Soligo não foi revelada.
# O vereador Vilmar Soccol (PTB), presidente da Câmara de Getúlio Vargas foi eleito e reeleito nas últimas duas campanhas.
# Antes havia assumido como suplente na bancada do PMDB e foi cofundador do partido, ao lado de Vilson Barbizan, atual Secretário Municipal do Meio Ambiente.
# Soccol revelou a este escriba que almeja o executivo e tem sido sondado como candidato a vice-prefeito numa chapa formada pelos partidos que integram o atual governo.
 
Dito & Feito:
 
O prefeito Geverson Zimmermann (PSDB), de Estação, foi eleito 2º vice-presidente da Amau. A assembleia foi realizada no último dia 15, na sede da entidade em Erechim. Os prefeitos Lírio Antônio Zarichta (PDT) e Luiz Angelo Poletto (PTB), de Três Arroios e Aratiba, assumem a presidência e 1ª vice-presidência, respectivamente.

 

Gostou? Compartilhe