OPINIÃO

Fontes em Off

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Acisa I

Diretores e colaboradores da Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agronegócio (Acisa) de Passo Fundo receberam na quarta-feira, associados, lideranças e profissionais da imprensa para o coquetel de confraternização de final de ano da entidade. Durante o encontro, foi apresentado o relatório das atividades realizadas em 2017.

Acisa II

A apresentação foi feita pelo presidente interino da Acisa, Evandro Silva. Entre os eventos promovidos ao longo do ano esteve o Café com Negócios, em parceria com o Sebrae RS. Foram oito edições abordando assuntos importantes de interesse dos empresários e que, no total, reuniram mais de 400 pessoas. As seis reuniões-almoço realizadas. Duas visitas técnicas, em que os diretores da entidade acompanharam por algumas horas a rotina de trabalho dos colaboradores da JBS, unidade de Passo Fundo, e do UPF Parque.

Acisa III
Ainda, teve a primeira edição da Feijoada da Acisa. As feiras, mais uma vez, fizeram parte da programação de eventos da Acisa. Em junho, a Feira do Imóvel de Passo Fundo e Feirão Caixa da Casa Própria, em parceria com a Caixa Econômica Federal, teve mais de 6 mil visitantes e ultrapassou R$ 59 milhões em negócios fechados e prospectados. No mês passado, a Expoacisa reuniu cerca de 60 expositores de Passo Fundo e mais nove cidades.

 

 

Saúde de Temer I

O presidente Michel Temer se recupera bem da cirurgia realizada na quarta-feira (13), mas ainda não recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Segundo o hospital, a retomada de atividades física poderia representar um incomodo já que o presidente ainda necessita o uso de uma sonda. Temer foi internado no ínico da tarde de quarta-feira, com um quadro de dificuldade urinária e diagnóstico de estreitamento uretral.


Crescimento da Economia I

O ministério da Fazenda aumentou a projeção do crescimento da economia para este ano e para 2018. A estimativa para o PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 0,5% para 1,1%, neste ano, e de 2% para 3%, em 2018. O anúncio foi feito pelo Ministro da Fazendo, Henrique Meirelles, na quinta-feira (14).

Crescimento da Economia II

O Ministro da Fazenda ainda destaca que as empresas e as famílias reduziram o endividamento, enquanto as taxas de juros reais (descontada a inflação) estão mais baixas, o que permite o crescimento da economia neste ano. Para 2018, Meirelles imagina uma projeção bastante conservadora e sólida, acrescentando que houve melhora na confiança e na expectativa de inflação controlada, o que leva a mais consumo e investimento.

Isenção de ISS

Na última sessão deliberativa do ano, realizada na quinta-feira (14), o plenário do Senado aprovou o PLS 475/2017, que esclarece critérios para isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) sobre as exportações de serviços. A proposta, enviada para análise da Câmara de Deputados, altera regras da Lei Complementar 116/2003 para evidenciar que são isentas todas as exportações de serviço, quando os benefícios do serviço se verificam em território estrangeiro e há ingresso de divisas no país.


Delação Negociada

O Supremo Tribunal Federal decidiu, na quinta-feira (14), adiar para fevereiro do ano que vem, após o fim do recesso do Judiciário, o término do julgamento sobre a manutenção da autorização legal para que a Polícia Federal possa negociar delações premiadas, conforme previsto na Lei de Organizações Criminosas (12.850/2013). Até o momento, a Corte tem maioria tem 6 votos a 1 a favor das delações negociadas pela PF, mas todos com divergências. O julgamento seria finalizado ontem (14), mas o relator do caso, ministro Marco Aurélio, sugeriu que a questão fosse analisada com o quórum completo diante do impasse.

Orçamento para 2018 I

O Congresso Nacional aprovou na noite de quarta-feira (13) o projeto de Lei Orçamentária Anual para 2018 com valor total de gastos de R$ 3,57 trilhões, incluindo a parcela necessária ao refinanciamento da dívida pública. Aprovado por votação simbólica, após quase duas horas de discussão, o Orçamento para 2018 tem como principal novidade a alocação de R$ 1,716 bilhão para o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), que vai custear com recursos públicos as eleições de 2018.

Orçamento para 2018 II

O relatório prevê um déficit primário de R$ 157 bilhões para 2018, diferentemente da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada anteriormente, que previa uma meta fiscal deficitária no valor de R$ 159 bilhões. A proposta prevê crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto do Brasil para os próximos 12 meses. O salário mínimo está fixado em R$ 965, R$ 28 superior ao valor atual de R$ 937.

Gostou? Compartilhe