OPINIÃO

Zero em redação

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os sistemas de avaliação de conhecimento tem aferido com clareza uma realidade preocupante. Centraliza-se nos resultados de habilitação básica na redação e matemática. A constatação de resultados com nota zero em redação espelha realidade que precisa ser superada por uma geração que sofre o revés de valorização e virtude. O prejuízo é pela falta de leitura. O reflexo é mais abrangente do que se imagina. A própria formação cívica e a visão democrática, tão necessárias, interferem nas escolhas desde a educação infantil. Erigimos falsos modelos de êxito, calcados na vasta publicidade consumista que insiste em eliminar a sofrimento como realidade. A modernidade dos meios na informação não exclui o custo inerente ao destino do homem para alcançar condições pessoais de relações e acesso à renda. A arte e costumes, as letras, resgatam valores da vida e equilibram o discernimento entre supérfluo e o saber.

 

Criança
Seis de cada dez crianças brasileiras vivem na pobreza. O potencial de crescimento e reação às condições adversas pela pobreza, só podem ser vencidos com o conhecimento básico. A democracia como espaço de libertação depende do conhecimento. Vale a lembrança de Bias (sábio Grego) que na correria em fuga pela invasão de Atenas, caminhava sereno sem carregar bens pessoais. Indagado sobre isso, respondeu: “Omnia mea mecum porto” (tudo o que tenho carrego comigo), referindo-se a seu notório saber.

 

Incrível
A letargia no Congresso Nacional irrita a lógica. Maluf, com todo respeito à sua claudicância, tem prorrogada sua punição transitada em julgado. O mesmo acontece com Lúcio Vieira Lima, deputado envolvido escancaradamente nas malas de 52 milhões flagradas no apartamento. Esse empurrar com a barriga é um privilégio revoltante de quem está ainda no poder.

 

Drª Maria
A procuradora estadual Drª Maria Pierdoná Fonseca, que atuou por vários anos em Passo Fundo, foi promovida para coordenadoria de Porto Alegre. Saudamos o justo sucesso da advogada passo-fundense, esposa do advogado e jornalista Carlos Fonseca, que atua na procuradoria do município.

 

Saneamento
O surgimento de doenças consideradas eliminadas há muito tempo é alerta muito sério à saúde pública. A concentração desorganizada das cidades agrava o perigo. O antigo problema do saneamento básico é o mais evidente entrave para barrar consequências desastrosas. A coleta e tratamento do esgoto em Passo Fundo tem merecido atenção dos poderes públicos, mas é preciso acelerar providências. Vejam a situação do rio Passo Fundo, termômetro da situação ambiental da cidade, responsabilidade de todos nós.

 

Natalidade
É noticiada uma nova conduta no âmbito familiar brasileiro. Atribuído à crise financeira, cresce a adoção de procedimentos de vasectomia, pelo SUS e rede privada. Essa contenção revela que adesão progressiva de 2011 a 2017 chega a 42%. A preocupação com o número de filhos que revela teor de responsabilidade social pode ser também sintoma de medo e preocupação pelas inúmeras dificuldades de vida futura, como na segurança e outros aspectos.

 

Retoques:
?A cidade e região recebem um presente de arte e fraternidade, com o Festival Internacional de Folclore. Nossa cidade necessita e deve prestigiar este caloroso acontecimento que se estende até o dia 25.


?O tradicional coral Ricordi D’Itália participará, dia 25, do festival de corais em Marau. A presidente Glaci Bortolini é testemunha da valiosa integração que gera a musicalidade vivenciada na cidade. É trabalho ardoroso de diversos regentes e membros dos grupos musicais, durante todo o ano. É empolgante verificar a espontaneidade dessas pessoas e de cada um dos coralistas nesta meta de valorizar a música como motivação de vida.


?Conversando com os delegados Mário e Vinícius da Polícia Federal de Passo Fundo, percebemos a situação inquietante nas áreas indígenas. Há iminência de crimes e o clima é tenso na região. Arrendamentos de terras e altas somas envolvidas conflitam com a miséria de aldeias. Sempre o dinheiro.

Gostou? Compartilhe