Caixa oferece descontos de até 90% na renegociação de dívidas atrasadas

Ação ocorre durante toda esta semana e tem o objetivo de movimentar R$ 47 milhões na região de Passo Fundo

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Durante esta semana, os clientes da Caixa Econômica Federal de Passo Fundo e região que estão com dívidas em atraso junto ao ban­co, poderão se dirigir até o estacionamento do Parque da Gare, ao lado da antiga Estação Férrea, para quitar suas pendências com des­contos que podem chegar a 90%. No local, o "Caminhão Você no Azul", que conta com dois atendentes, recebe os clientes das 10h às 16h. A ação segue até na sexta-feira (28). 

 

As alternativas ofertadas dependem da situa­ção do contrato e tipo de operação de crédito, tais como renovação dos contratos para au­mento de prazo, unificação de diferentes tipos de dívida, pausa no pagamento de prestação e, ainda, descontos para pagamento à vista. Para contratos habitacionais, a unidade mó­vel oferece a possibilidade de incorporação do saldo devedor em atraso, pausa no pagamento das prestações e utilização do Fundo de Garan­tia Por Tempo de Serviço (FGTS) para redução das prestações, que variam de acordo com as regras do Fundo e situação dos contratos. Para o Superintendente Regional da Caixa, Gilberto Onofre da Luz, apesar da região Norte do RS apresentar índice de inadimplência bai­xo se comparado ao restante do país, trata-se de uma comodidade e uma oportunidade única Para o cliente já sair do Caminhão com sua si­tuação regularizada.

 

Inadimplência na região

Somando os 215 municípios que fazem parte da Superintendência Regional da Caixa Econô­mica Federal (Norte Gaúcho), o débito dos clien­tes é de R$ 245 milhões. Desse total, somente na região de Passo Fundo, o déficit chega a R$ 47 milhões, e atinge em torno de 7.500 pessoas. "É para este público que trouxemos o Caminhão para a cidade, sendo o foco principal os clientes de baixa renda, que podem obter descontos de até 90%", destaca Gilberto. Segundo ele, questões relacionadas ao con­texto político e econômico do Brasil estão entre as principais causas apontadas pelos clientes para a inadimplência. "O próprio desemprego dificulta às pessoas honrarem seus compro­missos financeiros. Além daqueles que emprestam seu nome para terceiros efetuarem compras e, diante do não pagamento, acabam com seus nomes negativados", observa o superintendente.

 

Nesse contexto, a maioria das contas penden­tes na região gira em torno de R$1 mil, e tem re­lação com o cheque especial, cartão de crédito e o Crédito Direto ao Consumidor (CDC). Sobre a adesão das pessoas a campanha, ele comenta que "está bastante satisfatória e as renegocia­ções já chegam a R$ 8 milhões".

 

Para Gilberto, trata-se também uma ação so­cial, já que é voltada as pessoas de baixa renda. Além disso, o pagamento dessas pendências deve ocasionar um impacto positivo na econo­mia local. "Com o cadastro positivo outra vez, quem ganha é o comércio, pois esses clientes poderão voltar a comprar parcelado, aquecen­do toda a economia", diz. Quem perder a chance de negociar suas dívi­das através do Caminhão, poderá se dirigir até as agências da Caixa até 28 de agosto, data em que a ação chega ao fim.

 

Alívio

Com o CPF negativado há quatro anos, o metalúrgico Pedro Itor Von Dentz, era um dos clientes da Caixa que tentava a renegociação na tarde desta terça-feira (25). A dívida de R$ 4,6 mil contraída a partir dos cartões de crédito, com os descontos, ficou em R$ 800 com paga­mento a vista para 30 dias.

 

- Emprestei cheques a uma pessoa que, infe­lizmente, não efetuou os pagamentos. A dívida toda chegou a quase R$ 30 mil e eu tive que tirar do meu próprio bolso. Com isso, acabei atrasan­do o pagamentos dos meus cartões de crédito para priorizar esses cheques, e acumulei essa pendência acima de R$ 4 mil. Agora, graças a Deus, vou conseguir quitar essa dívida. Descon­tos são sempre positivos e eu esperava por esta oportunidade há muito tempo - comemora.

Gostou? Compartilhe