Trabalhadores da Codepas estabelecem estado de greve

Categoria aguarda nova assembleia para negociação de reajuste salarial. Caso as partes não cheguem a um acordo, trabalhadores podem paralisar as atividades

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Os trabalhadores dos coletivos urbanos da Companhia de Desenvolvimento de Passo Fundo (Codepas) rejeitaram, mais uma vez, a proposta de reajuste salarial apresentada pela empresa. A decisão foi tomada em assembleia organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Coletivos Urbanos de Passo Fundo (Sindiurb), na segunda-feira (24), quando eles também votaram a favor da adesão a um “estado de greve”. Isto significa que, caso a Codepas não apresente uma contraproposta, que esteja de acordo com o índice de aumento exigido pelos funcionários, a categoria pode dar início a uma paralisação. 

 

Na última assembleia, o aumento oferecido pela empresa foi de 4,67%, tanto no salário, quanto ticket-alimentação. No entanto, o reajuste buscado pelos funcionários é de 5% para o salário e 10% para o ticket. “Estamos aguardando uma nova assembleia, que ainda não tem data definida. Se a empresa não aceitar o reajuste solicitado, nós reuniremos os trabalhadores para decidir se eles querem aderir a uma paralisação. Enquanto isso, está todo mundo trabalhando normalmente”, explica o presidente do Sindiurb, Miguel Silva. As negociações vêm acontecendo desde abril.


Apesar da possibilidade de greve, o diretor-presidente da Codepas, Tadeu Karczeski, adiantou que "a empresa não está em condições de apresentar uma nova proposta". Ele citou a estagnação da economia e do volume de passageiros como os principais motivos. Atualmente, 20 ônibus da Codepas estão em circulação no município, com uma equipe de, em média, 120 colaboradores.

Gostou? Compartilhe