OPINIÃO

Fatos 03.07.2018

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Frente de Cidadania Evangélica

O engenheiro Agrônomo Cláudio Dóro deixou o Partido Progressista e deve ingressar no PSC – Partido Social Cristã. Atendeu a um chamado de um grupo de pastores evangélicos que estão formando em Passo Fundo a Frente de Cidadania Evangélica, ligada ao PSC. O objetivo é lançar candidatos a prefeito, vice-prefeito e chapa para vereador já em 2020. Dóro é um dos nomes cotados para ser candidato a prefeito ou vereador. “Fiquei no PP por mais de 15 anos. Nunca tive qualquer problema e saí para atender a este chamado que me foi feito pelos evangélicos, comunidade do qual faço parte”, justificou à colunista. Dó pertence a Igreja Batista Independente e vai prestar sua experiência na política para organizar a Frente. Segundo o engenheiro agrônomo, aposentado da Emater, esta Frente já nasce grande, pois congrega evangélicos de várias igrejas. O censo de 2010 apontava uma população de quase 30 mil pessoas evangélicas no município. Número que deve ter alterado significativamente nos últimos dez anos.

Agro e mercado

Depois de se aposentar da Emater, onde foi referência em informação sobre lavouras e mercado do agro, e aproveitando a expertise que tem na área, Cláudio Dóro decidiu criar uma empresa que atua em consultoria e planejamento para o agronegócio. Atento a movimentação do mercado, ele chama a atenção dos agricultores para as possibilidades que se abrem com o livre comércio entre o mercado Europeu e o Mercosul, mas especialmente para o triticultor. Segundo ele, o trigo gaúcho, assim como o paranaense, podem ganhar um grande espaço na Europa. No entanto, neste momento, recomenda que os agricultores foquem em tecnologias e boas sementes. “O mercado europeu é exigente e só compra produto de alta qualidade”, alerta.

Deu pra entender?

A Polícia Federal pediu ao Coaf um relatório das atividades financeiras do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept, site responsável por revelar conversas do ministro da Justiça, Sérgio Moro com a equipe da Lava Jato do Ministério Público Federal, no tempo em que era juiz em Curitiba. A informação foi dada pelo site Antagonista, enquanto a Polícia Federal diz que as investigações são sigilosas. A informação vazou no dia em que Moro esteve na Câmara dos Deputados para explicar tais conversas.

Outra emenda

O Hospital Municipal César Santos também vai receber recurso de emenda parlamentar. O coordenador da bancada gaúcha no Congresso, Giovani Cherini, PL, informou empenho do valor de R$ 400 mil, que devem ser utilizados na aquisição de duas lavadoras de endoscópio, dezoito computadores, sessenta régua de gases, quatro fornos microondas, seis monitores multiparâmetros, treze mesas para computadores, quatro geladeiras, dezoito nobreaks.

Reforma

Parecer complementar da reforma da previdência foi lido ontem pelo relator Samuel Moreira, e será votado hoje na comissão especial da Câmara. Não avançou a negociação para incluir estados e é possível que a proposta seja votada em plenário só em agosto, depois do recesso.

Comil

A Justiça homologou o plano de recuperação judicial da Comil, empresa montadora de ônibus com sede em Erechim. O plano havia sido aprovado pelos credores em assembleia no dia 25 de abril e começa agora a ser executado. “A homologação do Plano de Recuperação Judicial é um marco importante para a empresa, uma vez que as condições de pagamento propostas pela Comil e aprovadas pelos credores resultam em um cenário favorável para o efetivo cumprimento do Plano e continuidade da empresa”, destaca o advogado Silvio Luciano Santos, sócio do escritório Medeiros, Santos & Caprara, responsável pelas negociações com os credores em conjunto com o escritório Dárcio Vieira Marques e Rafael Brizola Marques, que também conduzem o processo de recuperação judicial.

Comil II

O endividamento total da empresa é de R$ 438 milhões. O plano homologado prevê pagamentos em diversas modalidades, com prazo de até 23 anos e meio e deságio de 95% em algumas situações, explica o advogado Guilherme Caprara, também sócio do MSC. Para os trabalhadores e credores financeiros que fomentarem a atividade da Comil, serão destinados valores decorrentes de recebimentos do Ministério da Justiça. No ano passado, a produção da Comil cresceu 29% e a receita atingiu R$ 300 milhões. Desde que ingressou com o pedido de recuperação judicial, a Comil tem honrado com todos os pagamentos de funcionários, fornecedores, clientes e agentes públicos.

 

 

 

 

Gostou? Compartilhe