OPINIÃO

Teclando

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

 

O maior palco do mundo
A vida é um palco e o palco sempre rende aplausos. Há algumas semanas publicamos uma crônica com o título “O menor palco do mundo”. A repercussão foi grande e surpreendeu pela resposta dos jovens. Muitos vieram falar sobre a crônica e alguns até me adicionaram nas redes sociais. Sim, isso comprova que os jovens leem jornais. No tête-à-tête com a galerinha, observei que eles valorizam muito o material impresso. Ocorre que em tempos de insanidades e idiotices, o passa e repassa de besteiras e mentiras plantadas não cola mais. A tinta e o papel são determinantes para que a informação tenha credibilidade. Os jovens com um bom discernimento sabem disso e, para não embarcar em fria, buscam fontes confiáveis. Manuseiam tecnologia e buscam credibilidade. O jornal transmite essa confiança. É informação palpável, um registro histórico. Prova disso é que, por ser um material impresso, a crônica foi transformada em quadro. Então, contrariando algumas aves de mau agouro que batem asas por aí, fiquei conhecendo o maior palco do mundo. Sim, o jornal é um imenso palco. Não tem página virada, pois é um respeitável espelho da sociedade.


Voando alto
Sempre é útil desmistificar sobre a aviação. Para isso é necessária uma aproximação das pessoas com o meio aeronáutico. Ver um avião de perto, observar pousos e decolagens pode ser o início de uma paixão. E essa paixão pode resultar em uma carreira profissional. Um grande passo para acabar com os mistérios sobre a aviação foi dado no final de semana pelo Aeroclube de Passo Fundo. Um encontro aeronáutico atraiu milhares de pessoas à área operacional da entidade. O Aeroclube, que é uma escola, proporcionou uma aula de adaptação à aviação. Sei muito bem das dificuldades para conseguir realizar uma festa deste nível. Mas a turma é boa de cabeça, pé e mão. O encontro foi um sucesso e superou expectativas. Que venham os próximos.

De olho nas prateleiras
Veganos e vegetarianos, data vênia. A carne é fraca e o meu fraco é a carne.
Aqui, nesse extremo meridional, o preço da carne é preponderante. Como produtores, já fizemos uma revolução pelo preço do charque. É claro que o mercado internacional dita os preços, mas não tenho informações de como está o valor para os criadores. Conheço bem os preços das prateleiras que considero fora da nossa realidade. Agora surge a informação de que isso vai mudar ainda esta semana. Confiram nas prateleiras dos supermercados. Se a minha fonte não estiver errada, o preço de alguns cortes nobres da carne bovina vai baixar. Tomara. E haja carvão!

Embaixada
Muito além da babosa nos cabelos, parece-me que as baboseiras penetraram nos crânios e invadiram os cérebros. No estilo ‘se colar colou’, não faltam disparates. Um dos destaques do momento é a discussão sobre quem será o embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Após ouvir sobre qualificações e outras justificativas, também gostaria de indicar alguém para o cargo. É um amigo. Amigo não é parente e, portanto, não há nepotismo algum na minha indicação. Indico para embaixador do Brasil nos Estados Unidos o Edu do Boka. Ou vocês conhecem alguém que já tenha fritado mais hambúrgueres do que ele?

---------------------

Trilha sonora
Isaac tem 11 anos, Nora oito. Ao lado do pai Nicolas e com apoio da mãe Catherine fazem sucesso na internet. Isaac e Nora, aqui em um clássico cubano (ainda pode?): Veinte Años
Use o link ou clique
https://bit.ly/2LdiNqX

 

Gostou? Compartilhe