Escola deve receber R$ 250 mil para construção de salas de aula

Os novos espaços da Escola Municipal Senador Pasqualini vão abrigar crianças da série inicial

Por
· 1 min de leitura
Educandário recebe cerca de 450 estudantes para a formação inicialEducandário recebe cerca de 450 estudantes para a formação inicial
Educandário recebe cerca de 450 estudantes para a formação inicial
Você prefere ouvir essa matéria?

 A Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador Pasqualini deverá receber cerca de R$ 250 mil destinados à construção de um novo espaço educativo para abrigar as duas turmas de 1ª ano das séries inicias. O valor foi anunciado no sábado (17) durante um plebiscito, na Câmara Municipal de Vereadores de Passo Fundo, entre a comunidade e a deputada federal Liziane Bayer (??"SB-RS).

Através do voto popular, manifestado por meio do projeto “Você decide”, criado pela parlamentar para a população eleger as prioridades consideradas no local de residência, as emendas federais serão destinadas ao educandário e à construção do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) III, no bairro Planaltina. A verba, no entanto, estará disponível apenas em outubro de 2020, como explicou a diretora da Escola Senador Pasqualini, Eliane Catarina Ortiz. “Aguardamos três anos por essa verba e apresentamos o projeto para a Câmara de Veradores porque nós não temos salas de aula para os primeiros anos, eles utilizam a mesma dos estudantes do 9º”, menciona. O centro de ensino, presente há 58 anos no bairro Vera Cruz, acolhe cerca de 450 estudantes que cumprem, pela manhã e à tarde, a formação inicial de alfabetização. “A Prefeitura Municipal encaminhou classes e cadeiras para os estudantes, na faixa etária de 6 anos, mas não temos espaço para utilizar porque se compartilha com alunos maiores. Além disso, houve a revitalização do canteiro e, nesse espaço, pretendemos estabelecer as salas de aula para o pequenos”, prossegue Eliane. “É uma escola municipal com cara de particular”, comemora.

Além de Passo Fundo, o projeto da parlamentar gaúcha se estendeu para Carazinho, Tapejara e Marau.  

Gostou? Compartilhe