OPINIÃO

Fatos 07.09.2019

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Descompasso

Há uma discrepância abismal entre o que querem e como agem os políticos que estão no poder, com a realidade social diversa e complexa da atualidade. Pensam estes políticos (há ressalvas porque não são todos), que o poder de inibir ou mudar comportamentos naturais à transformação do ser humano proibindo ver, ler e participar de qualquer ato artístico-cultural, que estarão no controle da situação. Vamos aos fatos: Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira foi vetado em setembro do ano passado em Porto Alegre e posteriormente pelo prefeito Marcelo Crivella do Rio de Janeiro, por considerarem a mesma uma apologia a pedofilia, zoofilia e blasfêmia. Esta semana, a exposição Riso é Risco: Independência em Risco, de vários chargistas gaúchos, foi retirada da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, por ser considerada ofensiva ao atual governo. Na sexta-feira, o prefeito do Rio mandou recolher livros da Bienal do Rio, o livro "Vingadores, a cruzada das crianças", à venda nos pavilhões do Riocentro, sob alegação de que o livro traz conteúdo sexual para menores “e a prefeitura tem obrigação de proteger as crianças”. A forma torta e autoritária como agem tais mandatários não tem o mínimo senso pedagógico. É imbuído de um ‘moralismo de cuecas’ perverso, que só tem uma intenção: manipular para tirar o foco do que realmente importa.

Resultado

Nunca se falou tanto da Exposição Queermuseu, depois da proibição; a Exposição dos chargistas que fazem uma crítica bem humorada ao atual governo ganhou outros espaços para ser vista em Porto Alegre; e, todos os exemplares de 'Vingadores, a cruzada das crianças' que estavam à venda nos estandes da Bienal do Livro do Rio se esgotaram em pouco mais de meia hora.

Censura

Alguém acha que é possível censurar qualquer coisa diante da velocidade com que as informações chegam hoje em dia?

A realidade

Um dos reflexos do aumento da desigualdade, da redução do poder de compras e do número de desempregados e desalentados (aqueles que deixaram de buscar uma vaga de trabalho no mercado formal) pode se verificar pelo aumento no atendimento da Assistência Social. Titular da pasta em Passo Fundo Wilson Lill tem sob sua jurisdição cerca de 110 atuando no PAC – Programa apoiar e comprometer. Este trabalhador faz serviços gerais, ganha um valor de R$ 700,00 por mês e uma sacola econômica e pode ficar apenas por dois anos. Ocupam estas vagas, pessoas em vulnerabilidade social. Hoje, mais de 1,1 mil estão na fila por uma vaga no PAC.  E outros 1,6 mil a espera de uma oportunidade como Jovem Aprendiz, sendo que 72 ocupam vagas no momento.

Reforço

O Republicanos de Passo Fundo está recebendo reforços para as eleições de 2020. A mais recente filiação do partido é Antônio Carlos Luzia, conhecido como Professor Carlitos. Nas últimas eleições de 2016, Carlitos concorreu a vereador, sendo o terceiro mais votado da sua legenda com 867 votos. A filiação foi abonada pelo presidente da sigla, Josemar Mazzaro e o pelo vereador Leandro Rosso.

Mudança de nome

No dia 15 de agosto de 2019, o ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral, acatou a mudança de nome do Partido Republicano Brasileiro (PRB) para Republicanos. O partido passou por uma reformulação completa, consolidando a posição como uma sigla conservadora nos costumes e liberal na economia.

Fui!

Chegou minha vez. Estarei em recesso (que não é parlamentar) nos próximos 15 dias.  

Gostou? Compartilhe