OPINIÃO

Fatos 25.09.2019

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Planilhas não batem

Não foi só pelo número insuficiente de assinaturas que o pedido para instalação de uma CPI da Codepas foi arquivado na Câmara de Vereadores de Passo Fundo, na segunda-feira. A falta de informações como o prazo de duração da CPI e, o principal, o objeto de investigação ou objetivo específico para investigação também foram decisivos. No entanto, um fato que passou despercebido, especialmente pelos cinco vereadores que assinaram o documento com Luiz Miguel Scheis, PDT, autor da proposição, foi levantado por Patric Cavalcanti, DEM, durante manifestação na tribuna. Os valores das supostas planilhas da Codepas anexadas ao pedido de CPI, pelo vereador Luiz Miguel, não condizem com os números oficiais além de apresentam erros grotescos de cálculo.  Patric identificou que os números não batiam ao estudar a proposta de CPI para argumentar seu voto contrário. Dando apenas um exemplo, na planilha anexada ao pedido referente ao movimento de passageiros e arrecadação da linha São Luiz Gonzaga-Morada do Sol, é apontado que em 2017 a empresa teve 263.530 passageiros e arrecadou por volta de R$ 1,3 milhão. Em 2018, segundo a mesma planilha, a empresa atendeu a 250.580 passageiros e arrecadou apenas R$ 186 mil, demonstrando uma discrepância enorme de um ano para outro no resultado financeiro.  Só que estes números em nada se parecem com os oficiais da Codepas. A Mesma linha atendeu a 652.458 passageiros em 2017, arrecadando R$ 1,7 milhão e 645.060 em 2018, arrecadando R$ 1,9 milhão.

Transparência

Se a intenção é verificar a situação real da Codepas, os vereadores têm compromisso com a verdade e obrigação com a transparência. E os caminhos para obter os números oficiais e reais são vários: a própria empresa; no Portal Transparência do Executivo ou via Ministério Público Estadual através da ação civil pública. O MP levantou, por exemplo que, até o ano passado, o déficit da empresa era de R$ 17 milhões, que atualizado já deve estar beirando os R$ 25 milhões. O fato é que cinco vereadores assinaram um documento que não obedeceu a Lei Orgânica e tinha anexos com números fictícios. O velho hábito de assinar sem ler. A gente já cansou de ver isso na história do Parlamento brasileiro.

Preservando a fonte

A colunista conversou com o vereador Luiz Miguel ontem à tarde e ele decidiu preservar a fonte de quem lhe passou as informações para a planilha. Disse que faz parte da sua estratégia em busca de outras informações sobre a Codepas. Diretores da Codepas e representantes do Executivo serão convocados a dar explicações na Câmara de Vereadores. 

Previdência

Ficou para a próxima terça-feira (1º de outubro) a análise das emendas da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), inicialmente agendada para a manhã de ontem. Pela manhã vai ser votado na CCJ e na próxima terça à tarde e à noite vai ser votado no primeiro turno [em Plenário]. Sendo assim, a votação em plenário ainda está dentro do prazo inicialmente dado pelo próprio Senado. Pretende ser concluída até 10 de outubro.

Estratégia eleitoral

Partidos e pré-candidatos se debatem para estabelecer  estratégias eleitorais para 2020 a partir de dois contextos: primeiro, o alto índice de aprovação do prefeito Luciano Azevedo; segundo, ele não será mais candidato, mas o candidato que ele apoiar ganha força na disputa. A questão toda estará na forma propositiva com que os candidatos se apresentarão. Como eles pretendem avançar entre o elogio e a crítica a um adversário que não estará na disputa, mas será determinante ao mesmo tempo?

Sobre o aeroporto

Estou começando a achar que o secretário dos Transportes do Estado Juvir Costella estava certo quando declarou na Expointer, à Rádio Uirapuru, que a obra do aeroporto Lauro Kortz ficará para o próximo ano. A última informação era de que a ordem de serviço seria expedida no mês de setembro pelo governador Eduardo Leite, PSDB. Setembro está terminando e até agora nada. Depois desta declaração, a secretaria tratou de amenizar dizendo que o cronograma estava dentro do prazo. Mas, na verdade, não está, apesar de todo o empenho de lideranças locais.

Coerência

Sobre o discurso do presidente Jair Bolsonaro na ONU, não se pode reclamar de estelionato eleitoral. Ele foi absolutamente coerente com que sempre defendeu a vida inteira como homem público e, principalmente, na campanha eleitoral. As conseqüências é que são elas.

Impeachment de Trump

A Presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi anunciou ontem a abertura de processo de impeachment contra o presidente Donald Trump. Ele é acusado de tentar recrutar poder estrangeiro para interferir a seu favor na eleição de 2020, ao pedir para presidente da Ucrânia ajudar seu advogado a investigar filho de Joe Biden, principal pré-candidato democrata e possível adversário.

Gostou? Compartilhe