OPINIÃO

Fatos 14.11.2019

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Aeroporto x obras

A propósito das obras do aeroporto Lauro Kortz, o secretário de desenvolvimento de Passo Fundo, Carlos Eduardo Lopes da Silva, acredita que a Secretaria de Aviação Civil, possa dar o parecer ao projeto da empresa Traçado na próxima semana. “O projeto executivo está mais robusto e foram feitas todas as adequações necessárias, considerando as novas aeronaves que irão operar no aeroporto”, segundo ele. Foi por esta razão que a Traçado precisou rever alguns parâmetros da obra, atrasando o cronograma e mexendo no custo. Ele garante que a empresa dispõe de profissionais altamente competentes, com experiência em terminais e, na visão da Traçado, eles já atingiram a qualidade necessária. Lopes observa que o Lauro Kortz será o primeiro aeroporto regional do Brasil que terá cumprido todas as fases até a liberação de obras. “Por esta razão, o primeiro apanha mais porque o fluxo não está conhecido e as inseguranças são maiores em função do controle exigido”, complementa. Ainda há esperança de que a obra comece neste ano ou que, pelo menos, o canteiro de obras esteja montado até dezembro.

Decisão

Filiados ao PSL de Passo Fundo decidirão no sábado quem acompanha o presidente Jair Bolsonaro para o novo partido. Indicativo do presidente da executiva provisória, Francisco Lupatini, em matéria que está publicada na página 7 da edição de hoje de ON, é de acompanhamento em massa. A grande dúvida é sobre como Bolsonaro vai conseguir criar um partido em tempo de participar das eleições de 2020. Especialistas indicam que a média é de três anos e meio e que o presidente teria pouco mais de 140 dias para todos os trâmites legais.

Alternativa

O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella se reuniu com Bolsonaro e teria colocado a Igreja Universal à disposição do presidente para conseguir o número de assinaturas necessárias para criar o novo partido.

Fusão

Sobre a possibilidade de fusão entre DEM e o que restar do PSL, o Rio Grande do Sul tem posição diferente das lideranças nacionais. Segundo o vereador Patric Cavalcanti, em que pese o bom relacionamento entre DEM e PSL em Passo Fundo, dificilmente a união dos dois partidos deve se confirmar, porque não envolve lideranças que apóiam o governo Bolsonaro.

Coordenador

O vice-prefeito de Passo Fundo, João Pedro Nunes, foi eleito no último sábado (9), em Marau, coordenador regional do MDB, cargo que deverá ocupar por dois anos. A missão agora é articular as eleições na região, que compreende 23 municípios, sendo 5 com prefeitos do MDB, dois com vice-prefeitos, além de 59 vereadores. João Pedro fica responsável pela mobilização e articulação com os presidentes dos diretórios municipais para as eleições de 2020, tendo como principal objetivo fazer crescer o número de prefeitos e vereadores na região. Esse é um forte indicativo de que João Pedro não será candidato a prefeito. Imagina conciliar a tarefa de articulação regional com uma campanha à Prefeitura? Como candidato a vice não teria problemas.

Temerário

O ex-deputado Beto Albuquerque teve uma atuação importante na elaboração de normas para redução de acidentes de trânsito. Considerou temerária a proposta do governo para extinguir o DPVAT. “Primeiro porque é um recurso que metade (R$ 2,3 bi/ano) vão para a saúde. A outra metade e para indenização famílias de feridos ou mortos no trânsito. Um atropelado que morre no trânsito mesmo não sabendo quem o matou, acontece muito isto nas estradas, a família tem direito a receber. Agora, deixa-se de pagar o DPVAT, como ficam as famílias das vítimas neste momento difícil?”

 

Gostou? Compartilhe