Lojistas apostam na Black Friday para aquecer as vendas

Categoria projeta crescimento de 8% em relação à edição do ano passado

Por
· 2 min de leitura
Lojas investiram na decoração para atrair os consumidores nesta sexta-feiraLojas investiram na decoração para atrair os consumidores nesta sexta-feira
Lojas investiram na decoração para atrair os consumidores nesta sexta-feira
Você prefere ouvir essa matéria?

O clima é de otimismo entre os lojistas que escolheram aderir à Black Friday, programada para esta sexta-feira (29). É que, além de prometer aos consumidores descontos significativos e condições especiais de pagamento, neste ano, a data da campanha internacional de vendas casa, ainda, com o dia de liberação da primeira parcela do 13° salário para parte dos trabalhadores e do saque imediato do Fundo de Garantia pelo Tempo de Serviço (FGTS) para os nascidos no mês de agosto. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Passo Fundo estima que, com um dinheiro extra no bolso, os gaúchos gastem 8% a mais que o registrado na edição do ano passado.


Em Passo Fundo, não é difícil perceber que o movimento nas ruas centrais da cidade tem crescido nos últimos dias. Basta observar as vitrines para se dar conta de que, embora a data oficial da campanha seja o dia 29 de novembro – fazendo jus ao nome “Black Friday” que, na tradução para o português, significa “Sexta-Feira Negra” –, alguns lojistas estão desde a última semana anunciando preços e horários de funcionamento especiais. De acordo com a presidente da CDL Passo Fundo, Carina Sobesiak, neste ano, mais de 150 lojistas aderiram à campanha da entidade. Ela destaca, porém, que este número representa somente os empreendedores associados à CDL. Há, ainda, um número expressivo de comerciantes que escolhem promover a Black Friday de maneira independente. “Quem escolheu fazer conosco, já recebeu material gráfico e kit decorativo a fim de atrair os consumidores. É importante salientar que cada lojista articula a sua própria campanha, então a população precisa pesquisar e ver o que vale a pena. Tem lojas com 70% de desconto. Em outras, você compra dois produtos e leva três. Cada um tem seu diferencial”, esclarece.


Ainda conforme a presidente, a entidade tem expectativa positiva para os resultados da campanha, especialmente nos segmentos de eletrodomésticos, confecções, calçados e cosméticos. “É uma época importante para o comércio e estamos mais otimistas que na Black Friday do ano passado. O aumento de aproximadamente 8% nas vendas representa um número expressivo se considerarmos que o comércio enfrentou um ano difícil”. Apesar da proximidade com o Natal, Sobesiak destaca que as compras da Black Friday tendem a ser mais pessoais. “Dificilmente são compras para presentear alguém, porque muitos desses produtos não podem ser trocados, então os consumidores tendem a deixar para ver os presentes mais próximo às festividades. Na Black Friday, a tendência é que as pessoas comprem coisas para elas mesmas ou, então, para familiares mais próximos”, observa.


A campanha

A tradição da Black Friday surgiu nos Estados Unidos. A data ocorre tradicionalmente no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças e é conhecida por marcar o início das compras de Natal. A primeira Black Friday brasileira ocorreu no dia 28 de novembro de 2010 no comércio online. Nos anos seguintes, o varejo físico aderiu à campanha. Em Passo Fundo, a Black Friday promovida pela CDL teve sua primeira edição em 2014.

Gostou? Compartilhe