OPINIÃO

Fatos 04.12.2019

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

“Pequeno tirano”

O presidente da executiva municipal do PSL, Francisco Lupatini, foi publicamente desautorizado a cancelar o evento de domingo que vai oficializar a filiação do procurador Rodinei Candeia e lançar a pré-candidatura a prefeito em 2020. Em dois vídeos, distribuídos em grupos de WhatsApp (um na noite de terça e outro na manhã de quarta), Candeia e o secretário geral do PSL no Estado, Ruy Irigaray confirmam o almoço do dia 8, em novo local, no CTG do condomínio Sandri, na Vila Mattos, em frente ao posto da PRE. Segundo o procurador, 400 pessoas estão confirmadas. No primeiro vídeo, Candeia fez graves acusações contra Lupatini. Disse que a atitude do presidente da executiva municipal pode ser interpretada como vingança por ele ter autuado como procurador em processos contra Lupatini, quando este foi afastado do cargo de diretor de escola e respondeu a sindicâncias por abusos que cometeu no exercício do cargo. Candeia disse que tinha esperança de que o tempo tivesse tornado Lupatini uma pessoa mais serena e sensata. “Me enganei redondamente. É apenas mais um pequeno tirano que usa o cargo para o qual foi nomeado para satisfazer seus interesses pessoais”, disse.

Os motivos

Segundo Candeia, Lupatini decidiu cancelar o evento numa reunião da executiva, com apenas quatro membros, sob alegação de que foram convidados socialistas para participar do almoço. “Não podemos radicalizar nossas posições a ponto de rechaçar o convívio educado com as pessoas de nossas relações mesmo de antes da política”, disse o procurador, confirmando que convidou lideranças políticas de outras agremiações partidárias pela amizade que mantém com as mesmas. Candeia também classificou a atitude do presidente da executiva como sectária e autoritária.

Convite

O vídeo seguinte traz a manifestação do secretário de Desenvolvimento e deputado estadual Ruy Irigaray. Ele faz um convite para que filiados participem do ato de domingo e pede união. “Temos visto muitas pessoas falarem em nome do partido e querendo criar confusão no processo. Mas, pessoal, vamos juntos construir e fazer uma grande frente de direita no RS para eleger pessoas do gabarito de Candeia”, disse.

Embaraço público

A repercussão negativa deste embaraço é inevitável e dificilmente os grupos que defendem posturas diferentes dentro do PSL vão se unir em 2020. De um lado, o grupo de Lupatini, defensor do purismo partidário e do distanciamento das lideranças ou partidos de viés ideológico de esquerda ou centro esquerda. De outro, Candeia, como uma visão mais aberta sobre relações político-partidárias. Retrato do que está acontecendo no PSL nacional que tem como pano de fundo a briga pelo comando da sigla.

Resposta

Procurado pela colunista, Lupatini prometeu responder através de vídeo, a ser publicado nas redes sociais.

Resta 1

O PSB, que iniciou a atual legislatura na Câmara com quatro vereadores, poderá encerrar o mandato com apenas um. O primeiro a deixar o partido foi Renato Tiecher, expulso pelo diretório municipal por contrariar orientação na eleição presidencial. O ex-socialista que um dia também foi comunista apoiou Bolsonaro. Os próximos serão Gleison Consalter e Valdecir Ribeiro, o Valdo. Ambos conversam com o PDT, de Márcio Patussi. Saul Spinelli será o responsável por manter a bancada na Câmara e já avisa que não deixa o PSB.

Troca

Quem também deve mudar de sigla (PCdoB), e a promessa para isso já tem um tempo, é Rudi dos Santos. Havia a possibilidade de ir para o DEM, mas o PDT também está na lista do vereador. Todos aguardam a janela partidária, prevista para abril, para fazer as mudanças.

Gostou? Compartilhe