Protesto pela morte de homem negro em supermercado é realizado em Passo Fundo

O caso de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, morto durante espancamento teve repercussão nacional

Por
· 1 min de leitura
Protesto ocorreu na esquina democrática (Fotos: Luiz Carlos Schneider/ON)Protesto ocorreu na esquina democrática (Fotos: Luiz Carlos Schneider/ON)
Protesto ocorreu na esquina democrática (Fotos: Luiz Carlos Schneider/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Na véspera do Dia da Consciência Negra, celebrado nesta sexta-feria (20), um homem negro de 40 anos, chamado João Alberto Silveira Freitas, foi espancado e morto por dois homens em um supermercado em Porto Alegre. O dia de luta e conscientização foi tomado pelo luto e revolta nacionalmente. Em Passo Fundo, ativistas protestaram na esquina democrática.

"Um dia da memória e de celebração de consicência negra, nós queremos dizer que as vidas negras importam sim, que todas as vidas valem. Por isso estamos aqui hoje fazendo essa denúncia de um racismo estrutural que nós mata, que mata o nosso povo, mata a nossa juventude", disse Edivânia Rodrigues da Silva, integrante da Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo.

O ato também é um convite para o "Ato por Justiça para Beto - Vidas Negras Importam" neste sábado (21), a partir das 15 horas, na Praça da Mãe Preta. Os movimentos são promovidos por organizações negras de Passo Fundo em unidade. O objetivo também é lembrar a morte de Gustavo Amaral, rapaz negro assassinado por um policial militar há 7 meses em Marau.


Gostou? Compartilhe