Interdisciplinaridade e flexibilidade são características dos novos currículos

Formação interprofissional qualifica a experiência universitária

Por
· 2 min de leitura
Novos cursos de graduação da UPF estão centrados na perspectiva interdisciplinar e multiprofissional (Foto: DivulgaçãoNovos cursos de graduação da UPF estão centrados na perspectiva interdisciplinar e multiprofissional (Foto: Divulgação
Novos cursos de graduação da UPF estão centrados na perspectiva interdisciplinar e multiprofissional (Foto: Divulgação
Você prefere ouvir essa matéria?

Os novos cursos de graduação da Universidade de Passo Fundo (UPF) estão centrados na perspectiva interdisciplinar e multiprofissional. Assim, preparam os acadêmicos, futuros profissionais, para a realidade prática do mundo do trabalho, onde a cooperação entre profissões é uma exigência cada vez mais necessária. O Sense UPF representa todas essas mudanças e é a nova identidade de ensino da Instituição.

Umas das principais características das novas graduações é a flexibilidade, com a proposição de uma arquitetura curricular menos rígida, com a previsão de componentes curriculares mais abertos e adaptáveis, oportunizando ao acadêmico maior participação na gestão de sua formação e no desenho de sua trajetória de estudos. Cada curso, a partir de suas particularidades formativas, concretizou a premissa de flexibilização, utilizando, por exemplo, estratégias como: a revisão do tempo de integralização curricular; a reorganização do turno de oferta; a minimização de pré-requisitos; a inserção de disciplinas no formato EaD; a inserção de certificações intermediárias; a ampliação da oferta de disciplinas eletivas do curso ou institucionais; a possibilidade de trânsito entre cursos, pelo viés de componentes curriculares comuns ou compartilhados, entre outros.

A multiprofissionalidade é, portanto, uma das marcas dos novos currículos. A integração interdisciplinar ocorre a partir da articulação entre cursos que compartilham competências e habilidades no perfil do egresso almejado, em vista dos campos afins de atuação profissional. Dessa forma, os novos currículos qualificam o futuro profissional para uma melhor relação consigo mesmo, com os outros, com a comunidade e com o mundo, por incentivarem, nas trocas interdisciplinares, a projeção de estratégias de ensino voltadas ao pensamento empático, colaborativo, criativo e responsável.

A educação, nesta perspectiva interprofissional, oportuniza aos acadêmicos, de dois ou mais cursos, experiências de trabalho colaborativo, em que possam aprender sobre e com os outros, tendo como ponto de partida as demandas e situações reais que se apresentam em cenários compartilhados de atuação profissional.


Construção da Reforma Curricular

A reforma curricular realizada nos cursos de graduação da UPF ao longo de 2020 foi consequência de um movimento articulado, que provocou a revisão e a renovação dos projetos pedagógicos dos cursos, a partir de diretrizes institucionais gerais, balizadas por princípios comuns de formação.

Os novos currículos foram construídos coletivamente, em um trabalho que envolveu, de modo especial, direções, coordenações e professores integrantes dos Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs), apoiados por diferentes instâncias e setores institucionais. Para tanto, foram organizados quatro grupos de trabalho (GTs) - Engenharias e Tecnologias; Licenciaturas; Saúde; Sociais Aplicadas, Comunicação e Artes. A partir dos encontros de estudo e de discussão de cada GT, os caminhos de integração interdisciplinar foram se constituindo.


Sense UPF

Essa nova identidade de ensino visa proporcionar vivências acadêmicas que potencializam a experiência universitária, atualizada com as exigências atuais, mais flexível e acessível. Na nova trajetória de estudos dos acadêmicos da UPF, busca-se ampliar e fortalecer as distintas metodologias de aprendizagem, as aprendizagens que nascem da relação teoria e prática, fomentadas pela inserção na comunidade regional e pelo desenvolvimento de uma visão ampliada, global e crítica sobre o mundo. Nos novos currículos, fortalecem-se as relações entre ensino, pesquisa e extensão, reconhecendo-se a pertinência de todo e qualquer tema a um contexto maior, cuja compreensão e aprofundamento necessitam do olhar complementar de diferentes áreas e profissões.


Gostou? Compartilhe