GESP denuncia lixão na área industrial

O relatório será entregue ao Ministério Público Estadual e a Secretaria do Meio Ambiente

Por
· 1 min de leitura
Acúmulo de lixo se estende por aproximadamente 100 metros da estrada municipalAcúmulo de lixo se estende por aproximadamente 100 metros da estrada municipal
Acúmulo de lixo se estende por aproximadamente 100 metros da estrada municipal
Você prefere ouvir essa matéria?

Após o recebimento de novas denúncias sobre antigo depósito irregular de resíduos, localizado na área industrial, o Grupo Ecológico Sentinela dos Pampas (GESP) pretende protocolar, hoje pela manhã (9) relatório sobre as condições do local. O documento será entregue ao Ministério Público Estadual e a Secretaria do Meio Ambiente.

Quem passa pela área industrial de Passo Fundo, na estrada municipal em continuidade com a Rua Manoel Portela, se defronta, de maneira inesperada, com o depósito de resíduos, de aproximadamente 100 metros de extensão frontal por 25 metros de largura, com pontos entre 2m e 2,5m de altura.

O agora novo, mas já conhecido lixão, é o destino dos mais variados materiais: madeiras, placas metálica, argamassa, tijolos, restos de jardinagem, terra, fios elétricos, sofás, televisores, garrafas plásticas, eletro-eletrônicos, papeis, papelões, vidros, pneus, armários, roupas, galhos e troncos de árvores, alimentos perecíveis, alguns animais mortos, peças e carcaças de automóveis, entre outros.

Conforme explica o integrante do GESP, Paulo Fernando Cornelio o Grupo realizou levantamento fotográfico da área, com o objetivo de acrescentar informações fidedignas ao relatório. “Encontramos um cão morto no depósito irregular, o que ocasiona um odor forte, bem como marcas de fogo em partes do terreno, em virtude da queima de objetos”.


O integrante do GESP conta ainda que o local foi denunciado pela entidade, em abril do ano passado para as autoridades de Passo Fundo. “Após a denúncia do lixão, a Prefeitura Municipal realizou limpeza no local, notificou o proprietário e foi colocado caçambas de entulho para que a população colocasse os resíduos de forma adequada. Porém, a iniciativa não teve êxito, recebemos novas denúncias, e se formos comparar com 2018, atualmente, o acúmulo de resídios é muito maior”.



Nos últimos meses, o Grupo tem recebido semanalmente entre 2 a 3 denúncias. “As denúncias sobre depósitos irregulares, de grande porte e pequeno porte, especialmente em terrenos baldios têm se intensificado e estão recorrentes”, elenca Cornelio.

 

As consequências futuras do acúmulo de resíduos para a saúde ambiental e para a saúde pública, preocupam o Grupo. “O local é propício para formação de vetores como ratos e insetos, no mesmo sentido os resíduos contaminam o lençol freático da micro bacia hidrográfica do Rio Passo Fundo, uma vez que existe um riacho e um pequeno bosque nos fundos do local”, entende Paulo Fernando.

Gostou? Compartilhe