Um final de semana entre os carrões de todos os tempos

Encontro de Veículos Antigos e Especiais de Passo Fundo contou com área coberta ampliada

Por
· 1 min de leitura
Raridades: acervo de Passo Fundo e de outros estadosRaridades: acervo de Passo Fundo e de outros estados
Raridades: acervo de Passo Fundo e de outros estados
Você prefere ouvir essa matéria?
Milhares de pessoas circularam pelo Gran Palazzo, sábado e domingo, 09/10, no 8º Encontro de Veículos Antigos e Especiais. A mostra foi realizada pelo Auto Club Veículos Antigos de Passo Fundo. Além da área coberta utilizada nas edições anteriores, este ano foi aberto o estacionamento coberto com 5 mil metros quadrados. Amplo espaço para muitos carros e maior conforto dos visitantes. De acordo com os organizadores, no sábado passaram pelas bilheterias mais de 2 mil pessoas, mesmo volume projetado para domingo. Foram mais de 330 veículos em exposição. Raridades nacionais e importadas de passeio, esportivos, utilitários ou com características especiais. Uma mostra com um longo caminho para conhecer ou recordar de carros que marcaram época.
 
Próximo em 2021
Em rápida avaliação do encontro, o presidente do ACVA, Michel Oncherenco da Silva, disse que “foi muito legal, especialmente em termos de veículos inscritos. Tivemos grupos de Novo Hamburgo, Vacaria, Caxias, Carazinho e outros municípios do RS, além de carros que vieram de SC, PR e MG”. Em relação ao público, Michel disse que poderia ser maior “mas Passo Fundo tinha muitos eventos no mesmo final de semana”. Mais de 40 associados do AVCA trabalharam na mostra, em grupos divididos entre portaria, salão, arena, secretaria, jantares, Mercado de Pulgas e comunicação. “O próximo será daqui a dois anos. Dá trabalho, a gente cansa”, disse o presidente. O antigomobilismo é forte em Passo Fundo. “Somos em 69 associados”, completou.
 
Pulgas, leilão e espaço
Quem circulou pelo Encontro de Veículos Antigos encontrou o tradicional Mercado de Pulgas, que reuniu em torno de 30 expositores, disponibilizando peças, acessórios, miniaturas e outros itens relacionados ao antigomobilismo. Guto Cardoso, que veio de Joinville, vendeu em torno de R$ 5 mil em peças automotivas. De acordo com o presidente do ACVA as vendas foram boas e houve grande procura por souvenirs. Já em relação à nova área coberta, Michel avalia que foi muito bom para público e expositores “que ficaram protegidos da chuva e do sol”. Mas a grande inovação foi o leilão de veículos antigos, inclusive com financiamento pelo Sicredi. Hugo Vargas Filho cuidou desta área e disse que alguns arremates foram concluídos e muitas negociações foram abertas. “Foi uma boa arrancada, mas vamos aperfeiçoar”, indicando que essa primeira experiência abriu um novo caminho para facilitar o mercado aos colecionadores.

 
 
 
 
Gostou? Compartilhe