Comunidade judaica celebra ano-novo com restrições

Conforme o calendário hebraico, o ano 5.782 começa hoje (06)

Por
· 1 min de leitura
As atividades presenciais não serão realizadas neste ano (Foto: Gerson Lopes/Arquivo ON)As atividades presenciais não serão realizadas neste ano (Foto: Gerson Lopes/Arquivo ON)
As atividades presenciais não serão realizadas neste ano (Foto: Gerson Lopes/Arquivo ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma das principais comemorações da comunidade judaica começa hoje (06) no pôr do sol, o Rosh Hashaná, que significa “cabeça do ano”. Conforme o calendário judaico, um novo ano acaba de iniciar. A crença é de que a humanidade começou há 5.782 anos, com a criação de Adão e Eva. A celebração e as rezas se estendem por mais dez dias, até o início do Yom Kipur, também uma das principais celebrações.

“É uma data que sem dúvida nenhuma devemos comemorar, é mais um ano que estou aqui e que cumpri com meus deveres e obrigações”, explica o presidente da Sinagoga Abrahão Melnick de Passo Fundo, Berel Natan Engelman. A data é equivalente ao 1º de janeiro, no entanto, os costumes são diferentes. A celebração judaica é mais voltada para a introspecção, família e rezas. 

Em Passo Fundo, 15 famílias compõem a comunidade judaica. No entanto, por mais um ano, as celebrações serão realizadas nas casas das famílias, que acompanharão no formato on-line as atividades realizadas nas capitais. “Se não estivéssemos em uma pandemia, estaríamos hoje a noite nos reunindo em oração e amanhã durante o dia inteiro”, lembra Berel. A comunidade aguarda ter um pouco mais de tranquilidade e flexibilizações em relação à pandemia para retomar às atividades presenciais na Sinagoga. 

Antes da pandemia, as celebrações eram realizadas na Sinagoga (Foto: Arquivo/Sinagoga Abrahão Melnick)

Yom Kipur

Após dez dias de celebrações, entre 15 e 16 de setembro, ocorre o Yom Kipur, o Dia do Perdão, o mais sagrado do ano judaico. “A gente faz uma introspecção e verifica tudo que prometeu e não cumpriu e pede perdão para as pessoas que magoou”, explica Berel. Um jejum completo de 25h também é realizado no Yom Kipur pelos judeus que têm maioridade religiosa, 12 anos para meninas e 13 para meninos, entre outras restrições. O objetivo é passar o tempo com D’us e ser purificado. 

Gostou? Compartilhe