OPINIÃO

O vinho nosso de cada dia

Por
· 4 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A produção de uvas na região remonta a década de 1910, quando migrantes oriundos das colônias velhas e imigrantes do continente europeu adquiriram lotes rurais da Comissão de Terras da Colônia Erechim. O solo e clima do entorno da Coxilha Seca, rebatizada de Floriano Peixoto quando elevada a Distrito, facilitou a atividade dos viticultores. Mas os parreirais também foram introduzidos em outras áreas do chamado Sertão do Alto Uruguai. A grande maioria dos produtores também eram vinicultores. A uva Isabel, espécie que chegou à Província do Rio Grande do Sul entre 1839 e 1842, originária da América do Norte, predominava. E com ela que é produzido o vinho para o consumo familiar e o excedente comercializado.


II


A contratação de professores italianos especialistas em vinicultura pela Escola de Engenharia de Porto Alegre no ano de 1914, foi o marco na melhoria das vinícolas existentes no RS. A transição entre a produção tipicamente artesanal para a industrial, levou algumas décadas. Além da Isabel, espécies dedicadas exclusivamente à produção de vinho como a Merlot, Riesling, e Cabernet Franc passaram a ser cultivadas na região serrana. Entre as décadas de 1930 e 1960 o desenvolvimento técnico e o crescimento da atividade recebeu um forte aliado, o cooperativismo. A Fundação da Cooperativa Viti-Vinícola Serrana em Estação Getúlio Vargas, seguiu os passos das primeiras cooperativas criadas em Caxias do Sul, Antônio Prado e Bento Gonçalves.


III


Da adega da cooperativa instalada a pouco mais de cem metros da Estação Getúlio Vargas da Viação Férrea do RS, os vinhos Resplendor e Audaz abasteciam o mercado regional. E também os garrafões de cinco litros eram despachados por vagões para diversas praças do RS e de SC, PR e SP. As doenças e pragas que dizimaram os parreirais e o ciclo da soja que se consolidou em meados da década de 70, colocaram em xeque a atividade. Muitas cooperativas fecharam as portas, inclusive a Serrana. Ao longo dos últimos cinquenta anos o RS se consolidou como produtor de excelentes vinhos e espumantes. Nem a alta carga tributária, tão pouco a concorrência dos vinhos produzidos no Uruguai, Argentina e Chile, comprometem o setor que cresce a passos largos.


IV

O trabalho realizado nas últimas décadas pela Emater/RS, em parceria com os municípios e associações de produtores colocou novamente a região na rota da uva e do vinho. A produção dos parreirais existentes em Floriano Peixoto, é disputada pelas vinícolas e a safra 2020 - 2021 promete. Na quarta-feira (13), foi aberta oficialmente a festa da uva em Erechim. Devido à pandemia da Covid-19 a Festa di Bacco, consolidada no calendário de eventos do RS, não vai realizar nesta edição atividades artísticas e culturais, apenas a comercialização do produto. Números da Emater/RS-Ascar, apontam que no ano passado foram colhidas 1.188 toneladas de uva em 83 propriedades em Erechim. A contar deste final de semana e nos próximos quatro, 20 produtores e agroindustriais vão comercializar suas uvas, vinhos e sucos no Pavilhão Multiuso, próximo a Feira do Produtor, no centro da cidade.

# No espaço de oito dias a Câmara de Vereadores de Estação realizou duas sessões ordinárias, as primeiras da nona legislatura.

# Durante a sessão ocorrida em 04 de janeiro, os vereadores aprovaram projeto de resolução do executivo que mantém o turno único.

# Na da última segunda-feira (11), os seis vereadores da bancada governista e os três da oposição aprovaram os dois projetos enviados pelo executivo.

# A mais votada em 15 de novembro, Cirilde Maria Braciak (PP) foi eleita por unanimidade presidente da casa legislativa instalada no número 85 da Rua José Dalpizol, Bairro Florestinha.

# Há dezesseis anos, a professora Cirilde era empossada prefeita de Estação, entrando para a história como a primeira na região da Associação dos Municípios do Alto Uruguai.

# Reeleita no pleito de 2008 cumpriu ao lado do vice-prefeito Geverson Zimmermann (PSDB), o mandato marcado pela criação do Distrito Industrial e a atração de empresas, dentre as quais a Relat.

# A trajetória como educadora, diretora de escolas, Secretaria Municipal de Educação e dois mandatos a frente do executivo parecia ser o suficiente para encerrar a vida pública.

# Filiada desde 1978, ela se manteve fiel às siglas que sucederam a Aliança Renovadora Nacional (Arena) e preside a Mulheres Progressistas de Estação.

# Entusiasmada com a nova experiência, a vereadora Cirilde aposta na harmonia entre os membros da casa e projeta para o pós-pandemia reuniões com as Associações de Moradores de Bairro e das Comunidades do interior.

# A irresponsabilidade de alguns usuários das redes sociais não tem limite e as notícias falsas são postadas em profusão.

# Na certeza do anonimato e da impunidade uma postagem acerca de tentativa de sequestro de crianças foi postada, inclusive com o Brasão da Brigada Militar.

#A falsa notícia alertava que “casal em um carro de luxo estaria passando por cidades da região e chamando a atenção por meio de oferta de brinquedos, alimentos e roupas para sequestrar os menores”.

# O desmentido foi feito em nota distribuída a imprensa pelo comando do 13º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Erechim, na última sexta-feira (08).

# Nela, a corporação lembra que o 190 é um dos canais oficiais para receber denúncias a eventos criminosos.

 

Dito & Feito

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto de Getúlio Vargas informou na tarde de quinta-feira (15) que o ano letivo 2021 irá iniciar no dia três de fevereiro com a realização do 1º Encontro Pedagógico No dia seguinte será realizado trabalho de formação nas escolas que passam a receber os estudantes a partir do dia cinco, apenas para visita e conversa com os professores. 


Gostou? Compartilhe