OPINIÃO

Dizer que “óbito também é alta”

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

A manipulação de interesses escusos que determinaram a atividade suspeita da Prevent Senior é mais um incidente gravíssimo que envolve a obrigação de combater a pandemia. A investigação das denúncias reforçadas pelos médicos que atuaram na empresa corre na CPI do Senado e também na Polícia Federal. Trata-se de operadora que inseriu a atividade experimental para diminuir custos ao tratamento contra a covid -19. A imposição do “Kit-Covid” foi à revelia dos órgãos controladores oficiais. É consabido que as drogas sugeridas por suposta pesquisa, sem reconhecimento científico, pretendo empurrar garganta abaixo o pacote negacionista da cloroquina e “et caterva”. Mais do que a simpatia de influentes políticos do Planalto, no suposto gabinete paralelo, a CPI levantou sérios indícios de charlatanismo. A expressão citada “óbito também é alta”, indica meios temerários que vicejam num esquema que visa apenas o lucro, a qualquer custo. É gravíssima a denúncia de médicos que foram pressionados a prescrever remédios ineficazes. A denúncia aponta omissão na ocorrência de covid, inclusive em casos de morte. Os médicos indignados com a perversão do tratamento paliativo já denunciam perseguição. O grupo é muito forte e tem lucros astronômicos como plano de saúde que promove tratamento ineficaz.

 

Atrelamento

Os senadores que cuidam da CPI foram atrás de provas, sem as quais não é possível responsabilizar alguém pelas terríveis falsidades apontadas. Certidões de óbito com obliteração contrária à ética médica são examinadas. Não se trata apenas de negacionismo ideológico, mas um perigo contra a ciência e contra a economia nacional. Negar a existência da doença (covid) é admitir o sub-reptício num dos momentos mais sérios da conjuntura nacional. Não é preciso saber muito para verificar que somente a vacina, produto da ciência farmacêutica tem reduzido drasticamente os efeitos desastrosos para a saúde pública. Logicamente que as recomendações de distanciamento, uso de máscaras e higienização, têm ajudado muito e ainda são recursos indispensáveis no combate à pandemia. O problema está sendo tratado como caso de polícia e deve ser prioritariamente investigado. Inclusive o atrelamento ao sistema de governo que produz custo imensurável ao povo que paga e padece pela doença.

 

Contarato

O senador Fabiano Contarato do Espírito Santo, vítima de piada homofóbica por parte do empresário Otávio Fakhoury, no espaço da CPI do Senado, produziu uma mensagem digna de registro. Ao responder a besteira do poderoso empresário alertou sobre a maldade sinuosa. Foi sincero e coerente, alertando sobre a distorção de caráter do agressor. O comentário de Otávio foi indigno, contra um cidadão de bem, culto e bem intencionado, como tantas pessoas, infelizmente agredidas pela maldade de preconceituosos. Há muito de infeliz nas atitudes de pessoas que se apoiam como prepotentes pelo dinheiro e aparência social, mas são vazias.

 

Importunação sexual

O prepotente se apoia, também, na força física e falta de dignidade. Assim foi com o cidadão que passou a mão na bunda da senhora ciclista. A ciclista foi surpreendida pelo gesto grosseiro do passageiro, certamente apoiado pelo motorista do carro onde andavam. Isso é crime, de importunação e perigo para a integridade física. Tem que ser punido o malandro de araque.

 

Cotas

As cotas para descendentes africanos nas faculdades já produzem milagre de elevado valor social. Muitos dos que receberam oportunidade hoje são propagadores de um reconhecimento importante para a comunidade. Estes cidadãos com acesso ao ensino superior refazem a nova narrativa histórica, tão sonegada ao longo dos tempos, com base na liberdade e igualdade do ser humano. Todos ganhamos com essa participação.

 

Ainda é perigoso

O pragmatismo dos negacionistas norte-americanos tem sido a causa de espantoso número de mortes pela covid naquele país. Lá já são 700 mil mortos. No Brasil a tragédia não passou e já estamos chegando a 600 mil óbitos. Aqui também temos desavisados, todos, que não tomam cautelas, não usam máscara e não se vacinam. Muitos já estão lesados no cérebro e nem sabem. As aglomerações ainda são perigosas. Vacine-se!!!!

 


Gostou? Compartilhe