Criminalidade se manteve estável em 2012

Dentre os crimes mais graves, apenas o roubo a estabelecimentos comerciais registrou aumento significativo

Por
· 5 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Conforme dados apresentados pela Diplanco (Divisão de Planejamento e Coordenação), do Serviço de Estatística da Polícia Civil, os índices da criminalidade em Passo Fundo durante o ano de 2012 não tiveram uma alteração significativa em relação ao ano de 2011.

Os números de crimes como roubos de veículos e homicídios indicam uma manutenção dos índices. Já os crimes relacionados ao tráfico de drogas tiveram uma pequena queda e os roubos a estabelecimentos comerciais tiveram um aumento de 20% em relação ao ano de 2011, isto se somente computadas as ocorrências até novembro deste ano, que é a base da atualização dos dados recebidos.

Roubos a estabelecimentos comerciais
De acordo com o tenente coronel Fernando Carlos Bicca, comandante do 3º RPMon da Brigada Militar, em relação aos roubos a estabelecimentos comerciais os fatores que influenciam no aumento deste índice são vários. “Existe uma tendência natural de que o número de ocorrências aumente de um ano para outro, especialmente em função do aumento da população, a própria abertura de novos estabelecimentos comerciais por exemplo. Verificamos que os criminosos estão mais audazes. Em algumas situações ocorreram prisões, mas isto não faz com que eles se desencorajem a isto”, explicou.
Também segundo o comandante do 3º RPMon, o aumento dos índices de consumo de drogas está ligado também ao avanço deste tipo de delito. De acordo os dados da Diplanco, em todo o ano de 2011 foram 158 roubos a estabelecimentos comerciais e até novembro de 2012 haviam sido registrados 199 casos. “Isto pode ser um reflexo do crescente aumento do consumo de drogas, o que faz com que as pessoas minimizem as consequências de seus atos. Um exemplo são os roubos aos coletivos urbanos, onde são roubados pequenos valores”, disse.

Outro reflexo do aumento na quantidade de estabelecimentos comerciais roubados é um aumento no número de prisões em flagrante por este tipo de delito. Em 2011 foram oito prisões e até novembro deste ano, 13 pessoas foram presas desta forma, o que resulta em um acréscimo de quase 85 % nas prisões. “A nossa atuação é focada nas necessidades do momento. Desenvolvemos um estudo estatístico que nos demonstra quais são as espécies de crimes que estão aumentando e os locais em que estão ocorrendo. Desta forma tentamos privilegiar a presença do policiamento ostensivo nestes horários e locais para reduzir a criminalidade”, esclareceu.

Roubos de veículos 

Em relação ao roubo de veículos, um antigo problema em Passo Fundo, juntamente com o furto de automóveis, os índices mantiveram o mesmo patamar. Durante o ano de 2011 foram registrados 270 casos e em 2012, até novembro foram 245. Considerando-se que a média de dezembro de 2011 seja mantida, teremos exatamente o mesmo número ao final de 2012. Oito pessoas foram presas em flagrante até novembro deste ano, sendo que no ano passado duas pessoas foram presas nesta situação, um aumento de 300%.

Para o delegado titular da 2ª Delegacia de Polícia, Cláudio Edgar Trindade Belcamino, as operações dos órgãos de segurança e as prisões de envolvidos neste crime contribuiu para manutenção dos índices. “Várias pessoas envolvidas foram presas, alguns até foram mortos. Tudo isto reflete na manutenção dos índices. Mas mesmo assim, quando um grupo é retirado de circulação, sempre há alguém que não é possível comprovar a participação. E são estas pessoas que seguem cometendo os delitos, às vezes até mesmo os chefes. É como o tráfico de drogas, quando há a prisão de alguns membros da quadrilha os que restaram se reorganizam”, esclareceu.

Mesmo com as prisões, os criminosos muitas vezes ao serem libertados retomam as atividades. “Muitas pessoas que são presas ou em flagrante e por prisão preventiva, são libertadas pouco tempo depois. É um ciclo, o que faz com que os índices não recuem. As pessoas que foram presas no meio do ano já estão nas ruas novamente fazendo as mesmas coisas”, disse.

Tráfico de drogas
Até novembro de 2012, 61 pessoas haviam sido presas por tráfico de drogas em Passo Fundo, sendo que durante todo o ano de 2011, foram registradas 74 prisões. Segundo o delegado Adroaldo Schenkel, titular da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), o ano de 2012 foi positivo em relação ao combate ao tráfico. “Foi um ano bastante positivo. O número elevado de prisões e de ocorrências indica que a polícia agiu. Somente na Defrec temos perto de 60 prisões, um volume significativo de maconha, cocaína e crack. A avaliação da atuação da Polícia Civil em relação ao tráfico de drogas foi muito boa”, afirmou.

Os dados da Diplanco relativos à quantidade de drogas apreendidas em Passo Fundo cobrem o período de janeiro a outubro de 2012. Conforme os dados oficiais, nos primeiros dez meses do ano foram apreendidos 20,776 quilos de maconha, 1,256 quilos de cocaína, 3,130 quilos de crack, 54,2 gramas de haxixe, além de 221 comprimidos de ecstasy.

Somam-se a esta quantidade de maconha os 39,146 quilos de maconha apreendidos pela 1ª Delegacia de Polícia no dia 10 de dezembro e os 2,5 quilos de maconha apreendidos pela Defrec no dia 11, que ficaram fora desta contagem. “Passo Fundo é um pólo regional e esta característica também reflete na criminalidade, dentro disto, o tráfico de drogas. O município distribui muita droga para as cidades menores da região, os traficantes daqui fazem isto. A nossa projeção é de continuar agindo assim, sabemos que não podemos acabar com o tráfico, mas reduzir o consumo, já que a droga afeta a saúde das pessoas, suas famílias e a sociedade de forma muito grave. Nossa expectativa mínima é de manter o mesmo nível de repressão em 2013”, disse.

Homicídios 

Pelo terceiro mês consecutivo, o crime de homicídio doloso registrou queda no Rio Grande do Sul. De acordo com o levantamento estatístico da Secretaria da Segurança Pública, publicado na última quarta-feira (26), o mês de novembro apresentou uma redução de 6,9% em relação ao mesmo período de 2011. 

A tendência de queda iniciou-se em setembro, quando foram contabilizados 151 homicídios dolosos, uma redução de 7,9% em relação ao mesmo mês de 2011. Outubro apresentou um índice 4,8% inferior ao mesmo período em 2011. Respectivamente, foram registrados 138 homicídios dolosos contra 145. Até a última quinta-feira (27), haviam sido registrados em Passo Fundo 45 homicídios, contra 44 em 2011. A partir de julho de 2012 as investigações dos homicídios ocorridos em Passo Fundo foram concentradas na 1ª Delegacia de Polícia que fez parte da Força Tarefa de Combate aos Homicídios e em seguida recebeu uma equipe especializada neste tipo de crime.

Para a delegada titular da 1ª Delegacia de Polícia, Daniela Oliveira Mineto, o trabalho desenvolvido através da delegacia tornou a investigação dos crimes de homicídio mais rápida e eficiente. “Com os policiais trabalhando exclusivamente nestes casos, foi possível esclarecer muitos casos que no passado teriam ficado em aberto. Agora estamos de imediato no local dos crimes e temos também a sensação de tranquilidade que isto passa à comunidade”, avaliou.

Após a instalação da Força Tarefa e da equipe especializada em homicídios, Passo Fundo atingiu no Estado o índice mais alto de elucidação dos crimes, superior a 80% dos casos. “Dentro da possibilidade que a lei nos permite temos efetuado bastante prisões, o que também dá uma sensação de resposta rápida. A médio e longo prazo, acredito que estes casos reduzam. É claro que os homicídios têm algumas questões que fogem ao nosso trabalho repressivo e até mesmo ao trabalho ostensivo da Brigada Militar, mas uma atuação mais efetiva traz sim um segundo momento em relação à conduta a ser tomada, já que a consequência seria grave”, disse.

Gostou? Compartilhe