?EURoeEu dei sinal de seta para ele não me ultrapassar?EUR?, diz caminhoneiro que afirma ter presenciado acidente em Soledade

Testemunha deve ser ouvida pela Delegacia de Soledade nos próximos dias

Por
· 2 min de leitura
Acidente deixou seis pessoas mortas, sexta-feiraAcidente deixou seis pessoas mortas, sexta-feira
Acidente deixou seis pessoas mortas, sexta-feira
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma nova versão foi apresentada ontem (3) à Delegacia de Polícia Civil de Soledade e pode alterar a linha de investigação de que o acidente ocorrido na BR 386, em Soledade, foi causado por sonolência e invasão da pista. Segundo o delegado Márcio Marodin, um caminhoneiro teria presenciado o momento em que o Peugeot/207 e o Volvo/40 se chocaram. Ele deu entrevista a rádio Cristal, ontem, e deve ser ouvido pela Delegacia nos próximos dias.


De acordo com a versão do caminhoneiro Claudemir Puhl, morador de Cerro Grande, ele seguia em um caminhão quando o Peugeot, que estava atrás dele, tentou ultrapassá-lo.


"Eu tinha parado para dormir [em Soledade], mas não consegui dormir e pensei vou até Tio Hugo, sendo que tinha que carregar em Passo Fundo de manhã. Por volta das 4h saí de Soledade até chegar no local do acidente. Quando eu vi vinha um carro longe atrás de mim [Peugeot 207] e deu o sinal de luz, olhei de novo e ele já estava bem perto, dei o sinal de seta para ele não me ultrapassar, pois já tinha visto o carro que tava vindo [Volvo V40], mas não deu tempo, quando tava na metade do caminhão eles se chocaram", contou na entrevista.


Claudemir disse ainda que ficou chocado com a cena e que não irá esquecer. "Só escutei o estouro e as luzes se apagaram, imediatamente parei o caminhão e fui ver se tinha alguém vivo, me deparei com uma cena que nunca vou esquecer: todas as pessoas mortas no carro e o ocupante do Volvo pedindo socorro, ele insistiu em sair do veículo e acionamos as autoridades.”


Na entrevista, Claudemir disse ainda que parou outro caminhoneiro que passava pela via para auxiliar.


Investigação


De acordo com o delegado Márcio Marodin, até o momento a investigação suspeitava de que o motorista do veículo Peugeot, onde estavam as seis pessoas da mesma família, teria dormido e invadido a pista contrária.


O caminhoneiro que concedeu entrevista à rádio ainda não foi ouvido pela Delegacia, mas deve ser intimado nos próximos dias. “Isso chegou ao nosso conhecimento hoje [ontem] dessa testemunha. Até então estávamos aguardando o restabelecimento do motorista do Volvo, que ainda está internado (...) Essa pessoa [motorista] foi contatada por essa rádio e nós já estamos de posse dos dados dele, vamos ouvi-lo nos próximos dias para ver se ele confirma a versão da ultrapassagem, o que pode mudar um pouco a nossa investigação. A gente entendia, até então, que o motorista [do Peugeot] deveria ter dormido no volante. Mas acaso seja confirmada essa versão do caminhoneiro, aí houve, nesse caso, uma imprudência desse motorista.”


Relembre


O acidente aconteceu por volta das 4h15 na BR 386 de Soledade, sexta-feira (30), quando um Peugeot, conduzido por Everton da Silva Geraldi, de 36 anos, colidiu frontalmente com uma caminhonete Volvo/40, conduzida por João Miguel Borges Neto, de 34 anos.


Com o impacto, a caminhonete foi jogada para fora da pista. Além de Everton, morreram no local a esposa dele, Jaqueline Amaral Erohin Geraldi, de 39 anos; seus pais, Ivanir Geraldi, de 61 anos, e Ana Lúcia da Silva, de 55 anos; e seu tio, Juarez Geraldi, de 47. O filho do casal, Lorenzo Erohin Geraldi, de seis anos, chegou a ser socorrido e levado ao hospital de Soledade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.


O motorista da caminhonete Volvo/40 teve várias fraturas e foi encaminhado ao hospital de Soledade, sendo transferido ao Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo (HSVP). Ele permanece internado na CTI, mas está consciente.

*Com informações da Tua Rádio Cristal

 

Gostou? Compartilhe