Autor de homicídio no Zachia já tinha passagem por roubo

Ele alegou legítima defesa; vítima tinha passagem por latrocínio

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

O jovem de 22 anos que confessou ter matado a facadas o adolescente Gabriel de Assumpção de Toledo, de 17 anos, disse ter agido em legítima defesa, segundo o chefe de investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Volmar Menegon. O crime aconteceu na tarde de domingo (8), no bairro Zachia, e o jovem foi detido no início da noite. Ele já tinha passagem por roubo praticado em 2017 e segue investigado por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

 

De acordo com o Boletim de Ocorrências, o acusado e o irmão da vítima, de 19 anos, começaram uma discussão em uma praça do bairro quando Gabriel interveio em defesa do irmão. Segundo o registro policial, o acusado sacou uma faca que estava no bolso e desferiu pelo menos três golpes contra o tórax do adolescente, que foi encaminhado ao Hospital São Vicente de Paulo (HSVP).

 

Gabriel chegou morto no hospital.  Ele também possuía passagem por latrocínio, em 2017, quando matou e roubou um comerciante. Na época ele foi recolhido no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Passo Fundo.

 

Confissão

 

No início da noite, pouco depois das 19h, a Brigada Militar (BM) foi informada de que o autor do homicídio estava escondido na rua Antonio Fernandes Machado, também no bairro Zachia. O 2° Esquadrão da BM junto do Pelotão de Operações Especiais (POE) e Núcleo de Policiamento Comunitário (NPC) foram até o local e encontraram o suspeito com outro jovem, testemunha do crime.

 

Conforme a BM, o acusado confessou o ato, dizendo que agiu em legítima defesa, e mostrou onde estava a faca utilizada. Ele foi conduzido junto com o jovem que estava com ele à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

 

Foi confeccionado Auto de Prisão em Flagrante (APF) ao autor e ouvido a testemunha, que foi liberada.

 

O caso segue investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Gostou? Compartilhe