Menina de cinco passa por reconstrução genitália após estupro

Acusado é vizinho da vítima e foi preso

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma menina de cinco anos foi vítima de estupro na manhã de sábado (28), em Marau. O crime foi flagrado pela irmã do agressor, que ouviu o choro da criança e acionou a Brigada Militar. O jovem, de 19 anos, foi preso em flagrante e já teve a prisão preventiva decretada. Ele foi recolhido ao Presídio Regional de Passo Fundo (PRPF).


De acordo com o delegado de Marau, Norberto Rodrigues, a vítima estava em uma sala junto de outras duas crianças e a irmã do acusado. Segundo o delegado, todos vivem juntos em uma espécie de “cortiço”, adaptado em uma casa de três andares, por isso o acusado também estava junto.


Entre as 7h e as 8h, horário que o delegado não especificou, a criança teria se distanciado das demais e a irmã do acusado, que estava ali, não teria percebido, só ouvindo, mais tarde, seu choro vindo de outro cômodo.


O jovem fugiu no momento e sua irmã acionou a Brigada Militar, que o prendeu em seguida. A Delegacia de Marau pediu a prisão preventiva, e foi acatada pela Justiça, que o recolheu ao Presídio Regional de Passo Fundo (PRFP) no mesmo dia.


A criança precisou passar por cirurgia de reconstrução da genitália devido à agressividade. Ela já foi liberada.


Família desolada


De acordo com Rodrigues, o jovem possuía outros antecedentes, mas de menor potencial ofensivo. “Não havia nada a respeito que pudesse levantar suspeitas. Parece que o irmão dele tinha sido indiciado por estupro. Mas dele não tínhamos nada”, apontou o delegado.


O acusado permaneceu em silêncio ao ser interrogado pela Polícia Civil. A pena para este crime pode ser superior a quatro anos, sendo inafiançável pela Delegacia de Polícia Civil.


A mãe da criança, que não estava em casa no momento do crime, só deve ser ouvida nos próximos dias. “A família está desolada. E isso causa uma revolta na comunidade. Uma revolta geral. De gente que não acredita que alguém é capaz de fazer isso com uma criança de cinco anos”, lamentou o delegado.


Nas redes sociais, o inspetor Ivan Bernardi, de Marau, também desabafou sobre o caso. “Cara! De todas as ocorrências que nos deixam tristes, é quando envolvem crianças. Lastimável! O crime por estupro por si só já é repugnante por quem o pratica, pior ainda contra uma criança de cinco anos. Não preciso dizer o quanto esperamos que este criminoso fique atrás das grades. Ainda confio em nossa justiça.”


Este foi o terceiro caso de estupro registrado em Marau, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP/RS). Os outros aconteceram em janeiro e agosto. De 2012 a 2018 o município registrou 36 casos. Os dados da Secretaria incluem estupro a vulnerável, mas não detalham quantos desses foram cometidos contra crianças ou idosos.


Conforme o delegado, casos como o que aconteceu sábado não são comuns na cidade. “Não é tão comum esse tipo de crime. Mas consideramos gravíssimo e tomamos as providências imediatas. Já aconteceu outras vezes, não só com criança, mas também com adulto, e seguimos em perseguição até conseguir o flagrante.”

 

Gostou? Compartilhe