Indivíduo vai de Uber ao presídio para fazer arremesso

Motorista do aplicativo disse ter percorrido trajeto de cinco quilômetros com o usuário

Por
· 2 min de leitura
Substâncias e objetos foram encontrados com dois indivíduosSubstâncias e objetos foram encontrados com dois indivíduos
Substâncias e objetos foram encontrados com dois indivíduos
Você prefere ouvir essa matéria?

Um motorista do aplicativo Uber foi conduzido até à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) na tarde desta quinta-feira (31) após encerrar uma corrida para um individuo que arremessou um pacote no Presídio Regional de Passo Fundo (PRPF). O autor do arremesso não foi encontrado.


Segundo o motorista, um jovem de 25 anos que dirigia um Fiat Mobi, a corrida foi chamada de um ponto que não se recorda da cidade e, ao chegar ao presídio, recebeu gorjeta do indivíduo, o vendo arremessar um pacote em seguida.


“A corrida deu R$ 9 e pouco e ele me deu R$ 10. Foram uns cinco quilômetros, mais ou menos. Aí ele desceu e eu já vi ele arremessando e saindo correndo. Eu só saí devagarinho. Já ia acionar o próprio Uber para denunciar, quando a polícia chegou”, contou.


Agentes da Brigada Militar estavam em uma das esquinas e flagraram toda a ação. O pacote chegou a cair no pátio do presídio, mas foi recolhido pelos agentes da Superintendência de Assuntos Penitenciários (Susepe).


O motorista, natural de Itapema/SC, está há três semanas em Passo Fundo em visita a amigos e familiares. Desse período, disse que há duas semanas trabalha como Uber. Ele não percebeu nenhum pacote quando o indivíduo entrou no veículo e tampouco imaginou a possibilidade do arremesso, já que como motorista do aplicativo deveria apenas cumprir as rotas. “E quando a polícia chegou minha consciência estava tranquila”, disse sobre sua reação. “Mas já bloqueei esse usuário”.


Outros arremessos


Na mesma tarde, outras duas pessoas foram detidas por arremessos. Elas foram localizadas, também pela Brigada Militar, após denúncias. Com a dupla foi encontrado um tijolo de maconha, três garrafas de cachaça, 10 carregadores de celular e um celular.


As apreensões aconteceram dois dias após a 4ª Delegacia Penitenciária Regional intensificar revistas nas casas prisionais.


Na ocasião, terça-feira, dia 29, agentes flagraram um individuo arremessando um pacote no PRPF. O homem foi detido e encontrado no pacote dois aparelhos celulares com baterias, um carregador de telefone, quatro invólucros contendo substância semelhante à maconha, uma bateria portátil, dois cabos de carregadores de celular e um fone de ouvido.


No Presídio Estadual de Soledade, foi realizado uma revista pontual na cela 8, onde apreenderam quatro aparelhos celulares, dois carregadores e uma bateria.


Já no Presídio Estadual de Lagoa Vermelha, após ocorrência de falta de disciplina de um apenado contra servidor, a direção da casa prisional realizou revista no alojamento do semiaberto, de onde retiraram dois celulares e uma faca de cozinha. Na quarta-feira (30), outra revista pontual apreendeu quatro celulares com bateria, uma bateria, quatro chips, três fones de ouvido, dois carregadores, uma faca de cozinha grande e duas buchas de maconha.


Hoje, no Presídio de Sarandi, foram recolhidos cinco celulares, nove carregadores, cinco fones de ouvido, dois cabos USB, sete buchas de substância semelhante à maconha, uma porção de substância semelhante à maconha, duas baterias de celular e duas facas de mesa. As substancias e objetos estavam nas celas da galeria A.


Entrada de objetos


Segundo o delegado da 4ª Delegacia Penitenciária Regional, que tem sede em Passo Fundo, Alexo Cesar Vezzosi Wallau, a maioria dos objetos entra no presídio através de arremessos que vêm da rua. Outra forma é pelos visitantes, que conseguem esconder celulares e ilícitos entre os materiais que levam aos detentos. “O presídio não possui fechamento com tela sobre os pátios”, aponta como um dos problemas que facilita os arremessos.


O delegado não citou se está previsto uma grande operação de vistoria nas casas prisionais para os próximos dias.


A última no Presídio Regional de Passo Fundo ocorreu no dia 26 de março, quando se apreendeu 167 aparelhos celulares, 127 baterias de celulares, oito balanças de precisão, 11 facas, 100 buchas de uma substância semelhante à cocaína (20 média e 80 pequenas), 445 embalagens de substância semelhante à maconha (410 pequenas e 35 médias), 117 pedras de uma substância semelhante à crack (110 pequenas e sete médias) e quatro frascos com farelo de uma substância semelhante à crack.

Gostou? Compartilhe