Operação Android é deflagrada cumprindo mandados de prisão preventiva no sistema carcerário

A Polícia Civil cumpriu hoje (14), 25 mandados em penitenciárias de Porto Alegre, Montenegro, Ijuí, Carazinho, Cruz Alta, São Borja, São Luiz Gonzaga e Três Passos

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/PCDivulgação/PC
Divulgação/PC
Você prefere ouvir essa matéria?

A Polícia Civil deflagrou hoje (14) a Operação Android, cumprindo 25 mandados de prisão preventivas na Cadeia Pública de Porto Alegre, nas penitenciárias Estadual Jair Fiorin de Montenegro e Modulada de Ijuí, e nos Presídios Estaduais de Carazinho, Cruz Alta, São Borja, São Luiz Gonzaga e Três Passos. 

O cumprimentos dos mandados de hoje é o fechamento de uma longa e ampla investigação que se iniciou em meados de 2017, a partir da Delegacia de Polícia Regional de Três Passos, e que foi concebida para, em toda Região Celeiro, desmantelar ações de tráfico de drogas e crimes conexos praticadas por indivíduos integrantes de organização criminosa comandada do interior de Casas Prisionais, onde se encontram recolhidos seus principais líderes.

Ao longo das investigações, foram efetuadas mais de duzentas prisões, dentre outros, foram apreendidos mais de duzentos quilos de drogas ilícitas, veículos, armas de fogo, munições e farto material para a traficância de drogas, em ações identificadas e capilarizadas nas cidades gaúchas de Santo Augusto, Coronel Bicaco, Redentora, Campo Novo, Tenente Portela, Três Passos, Crissiumal, Independência, São José do Inhacorá, Três de Maio, Ijuí, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Carazinho, Lagoa Vermelha, Lajeado, Dois Irmãos, Campo Bom, Montenegro, Novo Hamburgo, Charqueadas e Santiago.

Foi constatado que lideranças do interior de estabelecimentos prisionais, de forma estruturada e hierarquizada, comandaram toda a cadeia de distribuição de drogas ilícitas desde o transporte, separação e fracionamento, até alcançar metodicamente, lideranças regionais e locais responsáveis pela venda a usuários. As lideranças regionais eram responsáveis por recepcionar e distribuir as drogas, oriundas do Vale dos Sinos, a traficantes locais de Cidades da Região Celeiro, controlados de forma rígida de dentro de Presídios e fazendo funcionar as chamadas bocas de fumo, abastecidas, também, por aparato bélico.

O fenômeno, então novo na Região, foi marcado por intensa disputa de territórios de tráfico e ajustes de contas entre traficantes, em que a violência e intimidação empregada acabaram culminando em homicídios tentados e consumados entre traficantes. No período inicial também se verificou o aumento de crimes contra o patrimônio, sobretudo furtos de motos e roubos ocorridos na Região por integrantes da organização criminosa.

A ação de hoje, realizada pelas Delegacias de Polícia da 22ª Região Policial de Três Passos, engloba somente a execução de mandados de prisão preventiva e contou com o apoio da Susepe.

Gostou? Compartilhe