Como prevenir a conjuntivite

Medicina & Saúde - A infecção, que pode ser causada por vírus, bactéria, fungo ou até mesmo alergia, provoca bastante desconforto e atinge adultos e crianças, mas no período de férias, os pequenos acabam se contaminando com mais facilidade.

Por
· 2 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Ardor, secreção, vermelhidão, coceira e a sensação de estar com os olhos cheios de areia são os sintomas mais comuns da conjuntivite. A infecção, que pode ser causada por vírus, bactéria, fungo ou até mesmo alergia, provoca bastante desconforto e atinge adultos e crianças, mas no período de férias, os pequenos acabam se contaminando com mais facilidade. Com a intenção de incentivar métodos preventivos, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, conversou com o oftalmologista da instituição, Dr. Eduardo Ventura que deu dicas de como fugir da infecção.

Um dos programas preferidos das famílias nessa época do ano são os passeios em lugares com grande aglomeração de pessoas, porém é justamente nesse tipo de ambiente que a contaminação ocorre com maior facilidade, explica o oftalmologista. “Esta época do ano há uma incidência maior de conjuntivite porque o calor favorece a proliferação de germes. Lugares públicos e fechados são mais propícios para a transmissão do vírus ou da bactéria; por isso, é importante sempre lavar as mãos e evitar ir nesse tipo de lugar quando estiver muito cheio”, alerta Ventura.

A conjuntivite pode ser controlada com antiinflamatórios, antibióticos ou anti-histamínico, dependendo do tipo de inflamação. Em alguns casos, quando há sangramento, o paciente deve se dirigir ao consultório onde o oftalmologista realizará uma limpeza do local. Os sintomas podem durar até 10 dias, principalmente se a conjuntivite for viral.

Na emergência pediátrica do HSVP, foram atendidos 15 casos de conjuntivite em dezembro de 2012. Do início deste ano até o momento, oito casos já foram registrados. “Estes atendimentos que fizemos ainda não são fora do normal, mas podem ficar”, ressalta a pediatra da emergência do HSVP, Stefânia Simon Sostruznik. Conforme a médica a conjuntivite causada por vírus é transmitida com maior facilidade que as demais. “Neste caso é importante que os pais tomem alguns cuidados para evitar a transmissão entre os demais membros da família. Objetos pessoais e de higiene não devem ser compartilhados, toalhas devem ser separadas e o afastamento da escola deve ocorrer por um período de até sete dias. Se a causadora da conjuntivite for bactéria, o período de afastamento é de 48 horas”, explica.

Ao perceber os sintomas, a pessoa deve procurar imediatamente um oftalmologista e evitar tomar remédios sem prescrição médica. Para evitar infecções secundárias ou de bactérias, a pessoa, principalmente criança, deve procurar uma colírio ou pomada indicada pelo médico.

 

Lavar as mãos desde cedo

Na escola de Educação Infantil São Vicente, várias ações são realizadas com as crianças com o intuito de prevenção. “Temos a parceria do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HSVP que desenvolve projetos para incentivar as crianças a lavarem as mãos com frequência. A adesão é surpreendente, do menor até o maior e eles levam o hábito para dentro de casa também. Incentivando a lavagem das mãos prevenimos várias doenças, além da conjuntivite”, salientou a vice-diretora da Escola, Roseli Rodrigues.

Gostou? Compartilhe