A saúde da mulher sem complicações

O Dr. Luiz Tadeu Pereira explica como deve ser o acompanhamento pré-natal

Por
· 4 min de leitura
Dr. Luiz Tadeu Barros PereiraDr. Luiz Tadeu Barros Pereira
Dr. Luiz Tadeu Barros Pereira
Você prefere ouvir essa matéria?

A Ginecologia e Obstetrícia é um ramo da Medicina que lida com a saúde do sistema reprodutivo feminino. A primeira ideia que temos está relacionada à gravidez e ao parto. Ao conversarmos com o Dr. Luiz Tadeu Barros Pereira, logo entendemos que a atuação do profissional é bem mais ampla e se estende da pré-concepção ao pós-parto. Nesse período o foco é o acompanhamento pré-natal. Natural de Santana do Livramento, graduado pela Faculdade de Medicina da UPF, Tadeu Pereira especializou-se em Ginecologia e Obstetrícia no Rio de Janeiro. Durante 30 anos foi professor da Medicina da UPF e, agora, é preceptor da Residência da UFFS no Hospital de Clínicas. Mas é no consultório que dedica um bom tempo para consultas, exames e acompanhamento das pacientes.

A evolução do pré-natal
A dedicação ao pré-natal é considerada fundamental. O Dr. Tadeu fala com entusiasmo sobre o tema. “O pré-natal vem evoluindo muito e hoje a gente utiliza os exames de ultrassom. Quando comecei isso não existia. Para acompanhar as condições do bebê era necessário retirar o líquido amniótico e enviar para laboratório”, explica. Mas, além do ultrassom, os exames laboratoriais também evoluíram. “Hoje utilizamos o sangue materno para apontar as possíveis doenças genéticas no bebê. Até mesmo a paternidade pode ser conhecida através do sangue materno e paterno.” Equipamentos como ultrassom e Fraxx também estão integrados à rotina do consultório.

A importância do pré-natal
“O pré-natal é necessário já no início da gravidez. O acompanhamento da gestante é mensal e no final pode ser mais frequente”. Além do ultrassom, podem ser necessários exames mais completos. O morfológico é realizado com 12 e 22 semanas. “Isso permite um detalhamento do bebê, indicando alguma anormalidade”. Com 26 semanas, em clínicas especializadas, é realizada uma ecocardiografia do bebê. “Se houver irregularidades é possível prevenir problemas, pois encaminhamos para o Instituto do Coração em Porto Alegre. Existe uma maternidade dentro do IC, então o parto é realizado com todo o suporte”. Sem o exame a cardiopatia será descoberta somente depois do parto e o bebê chegará ao IC com alguns dias de atraso, já em más condições de saúde. O acompanhamento pré-natal também é necessário na prevenção de infecções congênitas. Tadeu Pereira cita a toxoplasmose, com grande incidência na região, sífilis, hepatite, HIV e rubéola entre outras que podem ser detectadas ainda nessa fase.

Antes de engravidar
O especialista alerta sobre os cuidados pré-concepção. “Antes de engravidar devem colocar em dia as vacinas. É necessária atenção à saúde bucal, com uma boa revisão dentária para evitar focos ou abcessos que podem dar muito trabalho na gravidez. Cálculos de vesícula e infecções urinárias também devem ser tratados. Enfim, deixar tudo em dia para ter uma gravidez saudável”.

Ao engravidar
De acordo com Tadeu, a gravidez exige mudanças de hábitos, sim. “Primeiro ela deve procurar o médico para o acompanhamento pré-natal. A dieta deve ser fracionada com várias refeições ao dia, porém sem exagerar no consumo de carboidratos, comendo mais frutas e legumes. O consumo de álcool é proscrito no início da gravidez por causa da síndrome alcoólica fetal, que pode causar lesões neurológicas no bebê. Após 16 semanas, em pequenas doses até pode ser aceito. Também deve evitar o uso de medicações sem orientação. Cigarro nem falar!”

Atenção aos exercícios
Ao engravidar as mudanças de hábitos devem ser adequadas de acordo com o condicionamento físico da mulher. Nada de novos e mirabolantes exercícios. “Tudo que ela já está habituada pode continuar fazendo, porém deve diminuir o ritmo. Não deve fazer aquilo que não está apta. Não há restrições para pequenas caminhadas, hidroginástica ou pilates. O que deve interromper é a prática de todos os esportes de contato”, detalhou Dr. Tadeu.

O parto
“O parto normal, quando é fácil, deve ser estimulado”, afirma o especialista. Porém, ele também esclarece que a cesariana é uma boa opção. “Especialmente para evitar partos prolongados e difíceis. A cesariana evoluiu muito graças à anestesia. Hoje o pós-operatório da cesariana é quase o mesmo do parto normal. A recuperação é mais rápida e, em média, 12 horas depois as pacientes já conseguem se levantar. A internação fica entre dois e três dias. Isso graças à evolução do trabalho dos anestesistas”.


A estética íntima sem inconvenientes

Na ginecologia, a atuação do Dr. Luiz Tadeu vai da prevenção à estética. Através de exames periódicos de ultrassonografia é possível prevenir várias doenças. Na menopausa a atenção é com o câncer de endométrio e de ovário. O recomendável é que os exames sejam anuais. Mas a flacidez perineal também está na rotina do consultório. É a conhecida ‘plástica íntima’. “Agora não necessita mais de uma intervenção cirúrgica e internação hospitalar. Isso é feito no próprio consultório com a utilização do Fraxx”. Trata-se de um equipamento de radiofrequência que usa a energia eletromagnética. A retração é obtida após três ou quatro sessões. “Apenas com uma anestesia local, a aplicação estimula a retração da mucosa e o fechamento da genitália. É uma plástica íntima sem cirurgia com resultados surpreendentes que vem gratificando as pessoas. Isso sem incômodos e com alta praticidade”, explica Tadeu Pereira.


SERVIÇO
Dr. Luiz Tadeu Barros Pereira
Ginecologia e Obstetrícia
Rua Teixeira Soares, 885 – Sala 905
Edifício das Clínicas
Telefone (54) 3311-6588
Passo Fundo - RS

Gostou? Compartilhe