HSVP comunica que vai atender 60% pelo SUS

Ofício foi encaminhado a Secretária Municipal de Saúde. Percentual corresponde ao mínimo legal de instituições filantrópicas

Por
· 1 min de leitura
Instituição vai atender ao limite preconizado pela legislaçãoInstituição vai atender ao limite preconizado pela legislação
Instituição vai atender ao limite preconizado pela legislação
Você prefere ouvir essa matéria?

O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) encaminhou um ofício, à Secretaria Municipal de Saúde, informando que a partir de janeiro deste ano passará a atender apenas o mínimo legal de 60% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O documento foi recebido pelo Município na segunda-feira (13), conforme a titular da pasta da Saúde, Carla Gonçalves. 

De acordo com ela, a instituição acabava atendendo além do percentual mínimo. A pasta não tem como mensurar quais podem ser as consequências dessa redução, mas Carla acredita que além de Passo Fundo, toda a região que é atendida pelo HSVP poderá ser atingida. A secretária pontua que não há informações dos serviços que seriam impactados com a medida. Isso porque, a legislação exige o percentual mínimo de atendimentos pelo SUS, mas não determina as especificidades (se são consultas, internações ou outras demandas).
Conforme Carla, a medida de atender o mínimo legal é em decorrência de uma orientação repassada pelo então ministro da Saúde, Ricardo Barros, há alguns anos, quando visitou o hospital. A ocasião referida foi a inauguração de um acelerador linear, ocorrida em fevereiro de 2018. Na data, Barros aconselhou a direção do hospital a reduzir os atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a fim de manter as contas da instituição no azul.
O coordenador do Conselho Municipal de Saúde, Neri Gomes, demonstrou preocupação com o teor do ofício. Segundo ele, parte da população passo-fundense pode ficar desassistida com a medida.


Contraponto
A reportagem entrou em contato com o HSVP, mas a instituição disse que, por enquanto, não iria se manifestar.

Atendimento
Segundo informações do Anuário Gigante do Norte, em 2018, a instituição registrou 21,4 mil internações pelo SUS e 11,7 mil particulares. Em relação aos atendimentos na emergência, pelo SUS foram 57,2 mil e por não SUS foram 3,1 mil.

 

Gostou? Compartilhe