Passo Fundo recebe 3,2 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca

Lote será direcionado ao grupo de trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente no atendimento às pessoas com Covid-19

Por
· 5 min de leitura
Remessa chegou à 6ª Coordenadoria Regional de Saúde no início da tarde de ontem (24)Remessa chegou à 6ª Coordenadoria Regional de Saúde no início da tarde de ontem (24)
Remessa chegou à 6ª Coordenadoria Regional de Saúde no início da tarde de ontem (24)
Você prefere ouvir essa matéria?

O município de Passo Fundo recebeu, na tarde desta segunda-feira (25), 3,2 mil doses da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca. As vacinas fazem parte de uma primeira remessa do imunizante enviada pelo Ministério da Saúde ao Rio Grande do Sul, no último domingo (24), com 116 mil doses. O montante foi distribuído pelo Estado entre as regionais de saúde, de forma proporcional ao número de trabalhadores de saúde em cada região. Para a 6ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), com sede em Passo Fundo e 62 municípios em sua área de abrangência, foram entregues 6,5 mil doses.

Conforme orientações do Governo do Estado, esse lote da vacina deve ser direcionado exclusivamente ao grupo de trabalhadores da saúde, priorizando aqueles que estão na linha de frente no atendimento ao coronavírus. Até o momento, contabilizando as unidades da CoronaVac recebidas na última semana e a remessa de AstraZeneca, o município já assegurou cerca de 8,2 mil vacinas. O índice equivale a aproximadamente 40% do grupo prioritário desta primeira etapa de vacinação, formado por cerca de 20 mil pessoas, sendo 12 mil delas profissionais da saúde.

A expectativa é de que mais unidades da CoronaVac cheguem ao município ainda nesta terça-feira (26), uma vez que o Estado anunciou, ontem, o encaminhamento de 53,4 mil doses às coordenadorias regionais, responsáveis pela distribuição às cidades. A Secretaria Estadual de Saúde ainda não divulgou, no entanto, quantas doses da nova remessa serão destinadas a cada regional. A secretária municipal de Saúde, Cristine Pilati, identifica que, com mais unidades, será possível avançar na imunização de trabalhadores que cuidam de pacientes imunodeprimidos. “Todos os profissionais da saúde serão vacinados na primeira etapa. O ordenamento ocorre de acordo com a quantidade de doses disponíveis”, avalia.


Passo Fundo já aplicou 1.643 doses da CoronaVac

A campanha de vacinação contra a Covid-19 teve início em Passo Fundo na última quarta-feira, após a chegada de 5 mil unidades da CoronaVac. Receberam a primeira das duas aplicações necessárias para a imunização os profissionais de saúde que atuam diretamente no enfrentamento da Covid-19 nos hospitais São Vicente de Paulo, de Clínicas e Prontoclínica e na emergência do Hospital Municipal.

Também começaram a ser vacinados os trabalhadores dos Cais Petrópolis e Boqueirão, as equipes de vacinação das unidades de saúde da rede municipal, as equipes de salvamento dos Bombeiros, Samu, Unimed e Argos, profissionais da rede municipal que atuam na coleta de exames de Covid-19, além de idosos e funcionários das Instituições de Longa Permanência (ILPIs). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, seguindo o cronograma de aplicação, nos próximos dias devem ser vacinados os indígenas aldeados, que também pertencem ao primeiro grupo prioritário nesta etapa de vacinação.

Na primeira remessa de 5 mil doses doses da CoronaVac enviadas a Passo Fundo, 3,8 mil estavam destinadas aos profissionais da saúde, 652 à aplicação em idosos residentes em ILPIs e outras 497 em trabalhadores destes locais. Para a imunização dos indígenas aldeados, estão destinadas 84 unidades. Os números devem ser ampliados com a chegada da segunda remessa da CoronaVac, ainda em quantitativo indefinido.

O levantamento mais recente da Secretaria Estadual da Saúde, atualizado na manhã dessa segunda-feira, mostra que Passo Fundo é a quarta cidade gaúcha com mais doses aplicadas. Até o momento, o município já vacinou 1.643 pessoas com a CoronaVac. O número equivale a 33% das doses disponibilizadas para a cidade. Destas aplicações, a maior parte teve como alvo os profissionais da saúde – mais de 1,4 mil já receberam a primeira dose. Em Instituições de Longa Permanência, foram aplicadas 150 doses. O Rio Grande do Sul vacinou mais de 77,5 mil pessoas.

Os profissionais de saúde foram prioridade no primeiro lote da Coronavac e também receberão as primeiras doses da AstroZeneca para que o atendimento nos hospitais não seja prejudicado. Já a definição dos demais grupos prioritários da primeira etapa levou em consideração as maiores chances do desenvolvimento de casos graves em decorrência da Covid-19, ocupação de vagas nas UTIs por longos períodos e óbito.


Novo lote da CoronaVac deve começar a ser distribuído nesta terça-feira

Além das 116 mil doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela biofarmacêutica AstraZeneca – das duas milhões importadas da Índia para o Brasil –, o Rio Grande do Sul recebeu também, na segunda-feira (25), uma nova remessa com 53,4 mil doses da vacina CoronaVac, produzida em parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac. Essas doses pertencem ao novo lote de 4,1 milhões, aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na última sexta-feira (22).

Para distribuição imediata em todo o país, o Butantan liberou 900 mil doses. Ainda não foi definida a quantidade de doses do novo lote de CoronaVac que serão destinadas a cada Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) e que devem começar a ser distribuídas nesta terça-feira. Somando as três remessas entregues em solo gaúcho até o momento (duas da CoronaVac e uma da Oxford/AstraZeneca), o Rio Grande do Sul já recebeu 511,2 mil doses de vacinas contra a Covid-19.

Assim como a CoronaVac, a vacina da Oxford também possui esquema de aplicação de duas doses para completar a imunização. No entanto, ao contrário do que ocorre com a CoronaVac, em que são distribuídas apenas a metade das vacinas disponíveis para manter reserva para a segunda aplicação, as 116 mil novas doses da vacina de Oxford servirão para vacinar mais 116 mil pessoas, majoritariamente trabalhadores da saúde. A segunda dose da vacina será aplicada em 12 semanas, quando há previsão de novo repasse por parte do Ministério da Saúde.


População deve aguardar orientações

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que como, neste momento, a vacinação é feita a alguns grupos da primeira etapa, a população não deve ir até as salas de vacinação. Conforme a disponibilidade de doses, os outros grupos contemplados na primeira etapa de vacinação serão chamados. Esse é o caso de demais profissionais da saúde, idosos com mais de 75 anos e pessoas com 60 anos ou mais acamadas em domicílio.



Quantidade de doses da vacina Oxford/Astrazeneca por coordenadoria nesta remessa:

• Porto Alegre: 32.000
• 1ª CRS (sede Porto Alegre – 65 municípios): 21.000
• 2ª CRS (sede Frederico Westphalen – 26 municípios): 1.500
• 3ª CRS (sede Pelotas – 22 municípios): 9.500
• 4ª CRS (sede Santa Maria – 32 municípios): 7.000
• 5ª CRS (sede Caxias do Sul – 49 municípios): 11.000
• 6ª CRS (sede Passo Fundo – 62 municípios): 6.500
• 7ª CRS (sede Bagé – 6 municípios): 1.500
• 8ª CRS (sede Cachoeira do Sul – 12 municípios): 2.000
• 9ª CRS (sede Cruz Alta – 13 municípios): 1.500
• 10ª CRS (sede Alegrete – 11 municípios): 3.200
• 11ª CRS (sede Erechim – 33 municípios): 2.000
• 12ª CRS (sede Santo Ângelo – 24 municípios): 2.700
• 13ª CRS (sede Santa Cruz do Sul – 13 municípios): 3.200
• 14ª CRS (sede Santa Rosa – 22 municípios): 2.000
• 15ª CRS (sede Palmeira das Missões – 26 municípios): 1.300
• 16ª CRS (sede Lajeado – 37 municípios): 2.700
• 17ª CRS (sede Ijuí – 20 municípios): 2.200
• 18ª CRS (sede Osório – 23 municípios): 3.200
Gostou? Compartilhe